Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Indústria de implementos pede ao BNDES solução para destravar crédito

COVID-19 | 18/05/2020 | 18h09

Indústria de implementos pede ao BNDES solução para destravar crédito

Anfir expõe dificuldade de associados e de clientes para conseguir financiamento durante a pandemia

REDAÇÃO AB

Em uma teleconferência realizada na última quinta-feira, 14, a diretoria da Anfir, associação que reúne as fabricantes de implementos rodoviários, pediu ao BNDES que estude uma solução para que o crédito seja destravado junto aos agentes financeiros que operam as linhas do banco. A entidade relatou dificuldade tanto de associados, impactados pela crise gerada pela pandemia, quanto de clientes da indústria para obter financiamento para compra de implementos rodoviários.


Durante a reunião, o presidente da entidade, Norberto Fabris, descreveu o panorama do mercado desde a crise de 2015 e expôs a dificuldade enfrentada pelos clientes da indústria para obter financiamento para compra de implementos rodoviários. Os executivos apontaram que o sistema financeiro exige garantias em excesso. “Os bancos comerciais não querem emprestar por terem receio da inadimplência devido a grande queda do PIB que está ocorrendo“, afirma Fabris.

“A crise provocada pela Covid-19 frustrou nossos planos porque atingiu todos os setores econômicos em cheio“, disse Fabris. “Os bancos comerciais não querem emprestar por terem receio da inadimplência devido à grande queda do PIB que está ocorrendo“, completou.

Segundo a Anfir, o diretor de participações, mercado de capitais e crédito indireto do BNDES, Bruno Laskowsky, informou que já estão avançadas as tratativas para a publicação por parte do governo federal de uma medida provisória regulando um fundo garantidor especial denominado FGI, com o objetivo de servir como garantia para as operações dos agentes financeiros parceiros do BNDES. O FGI vai englobar todas as operações de crédito feitas pelas operações indiretas do BNDES: isso representa cerca de R$ 100 bilhões.

A diretoria da Anfir esclareceu ao BNDES que o setor não gostaria de ter algo nos moldes do PSI com juros subsidiados a 2,5% ao ano, solução, que segundo os executivos das fabricantes, gerou graves distorções posteriores na economia. “O Brasil aprendeu que o dinheiro barato daquela ocasião nos custou muito caro”, comentou Fabris.

No mesmo dia, a entidade participou de outra videconferência com representantes da Apex-Brasil, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, na qual a Anfir declarou o interesse em continuar e ampliar o programa MoveBrazil, projeto para a promoção de exportações do setor de implementos rodoviários que vem sendo realizado anualmente desde 2018.

O programa tem como meta promover as vendas brasileiras destes produtos em outros mercados a fim de fortalecer o Brasil como fabricante de bens de capital e fornecedor de tecnologia. A principal forma de atuação é por meio de ações de promoção comercial, como participação em feiras e rodada de negócios.



Tags: Anfir, indústria, implemento rodoviário, carreta, crédito, BNDES, financiamento, crise, pandemia, coronavírus, Covid-19.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência