Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Empréstimo de € 6,3 bi à FCA antes da fusão com a PSA levanta críticas na Itália

Negócios | 19/05/2020 | 21h00

Empréstimo de € 6,3 bi à FCA antes da fusão com a PSA levanta críticas na Itália

Isso porque empresa planeja pagar dividendos de € 5,5 bi a acionistas para concluir o negócio

REDAÇÃO AB, COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS



Vem aumentando o volume das críticas na Itália à negociação da FCA (Fiat Chrysler Automobiles) para levantar linha de crédito de € 6,3 bilhões por três anos, com 80% do valor garantidos pelo governo italiano. Isso porque, ao mesmo tempo em que afirma precisar dos recursos para cobrir o rombo no caixa e passar pela falta de liquidez provocada pela pandemia de coronavírus, a empresa planeja pagar dividendos de € 5,5 bilhões aos acionistas – a maior parte para a família Agnelli –, como parte da negociação de fusão com o Grupo PSA iniciada no fim de 2019, que na semana passada foi confirmada para ser concluída até o fim do primeiro trimestre de 2021.

A FCA garante que os recursos do empréstimo serão usados para sustentar os negócios da companhia na Itália, onde emprega 55 mil pessoas em diversas fábricas e centros de desenvolvimento. A linha de crédito de € 6,3 bilhões é parte dos € 400 bilhões que o governo italiano está colocando à disposição das empresas do país que foi duramente afetado pela Covid-19.

Segundo a agência Reuters, fontes dizem que do governo poderá retirar a garantia estatal ao empréstimo para a FCA caso a companhia não reveja o plano de pagar dividendos tão elevados diante da crise de liquidez que as companhias estão passando. Na semana passada, FCA e PSA concordaram em cancelar um pagamento de € 1,2 bilhão que cada uma faria como parte de seu acordo de fusão. Contudo, o desembolso de € 5,5 bilhões previsto para 2021 também faz parte dos planos da FCA para concluir a fusão.

De acordo com o plano de ajuda do governo italiano, as companhias que acessarem as linhas de crédito especiais com garantia estatal ficam proibidas de pagar dividendos aos acionistas até o fim de 2020. No entanto, a FCA não ficaria legalmente impedida de fazer o desembolso planejado em 2021 – além do que o pagamento não seria feito na Itália, mas pela sede global da empresa estabelecida na Holanda.

O ministro italiano da Economia, Roberto Gualtieri, declarou que apoia a fusão com a PSA, mas disse que para ter acesso a empréstimos garantidos pelo governo a FCA deve garantir mais investimentos na Itália e evitar transferir polos de produção para fora do país.



Tags: FCA Fiat Chrysler, PSA Peugeot, empréstimo, Itália, dividendos, fusão, pandemia, coronavírus, Covid-19.

Comentários

  • LEONARDOLUCIO SALGADO DOS REIS

    Estranhoesse governo italiano,,,

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência