Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Maioria dos consumidores adiou compra do carro, mostra pesquisa da Webmotors

Comportamento | 23/06/2020 | 20h30

Maioria dos consumidores adiou compra do carro, mostra pesquisa da Webmotors

Levantamento encomendado pela Anfavea aponta que incerteza financeira é o principal motivo para desistir de trocar o veículo

PEDRO KUTNEY, AB



Pesquisa encomendada pela Anfavea à Webmotors, para entender o perfil dos consumidores de veículos que ainda restam no mercado, aponta que a maioria dos visitantes do portal ainda sustenta a intenção de comprar um carro novo ou usado – como parece óbvio entre frequentadores de um site de negociação de veículos –, mas 64% responderam que adiaram essa decisão nos próximos seis meses após a instalação da crise econômica trazida pela pandemia de coronavírus – entre os interessados em um modelo zero-quilômetro essa prorrogação aumenta para 84% dos respondentes.

A Webmotors apurou as respostas de 1.668 pessoas na terceira semana de maio, das quais 89% mostraram manter o desejo de trocar de automóvel, mas 27% prorrogaram essa compra para seis meses adiante, outros 21% adiaram para os próximos três meses, 12% para algum momento de 2021, enquanto 21% queriam tomar a decisão ainda em maio e outros 16% no mês seguinte (junho).

Dos 11% que responderam à pesquisa e disseram não ter a intenção de comprar um carro, 57% relataram que não pretendem fazer isso por causa de incertezas financeiras, como desemprego, que eleva o medo de assumir um compromisso que não poderá ser honrado, enquanto 34% esperavam por melhores condições de pagamento, 18% não conseguiram vender o usado na compra de outro, e 17% avaliam ser muito alto o valor da entrada do financiamento.

Já os 89% que responderam ter a intenção de comprar um carro, 45% responderam que adiaram essa decisão para os próximos seis meses porque têm medo do desemprego, outros 37% querem ver o carro pessoalmente (o que ficou difícil com as revendas fechadas), 33% vão esperar por condições melhores de pagamento e 29% não conseguiram vender o usado ppara comprar outro.

“Esta pesquisa nos sugere ferramentas para atrair clientes neste momento, como planos mais acessíveis de financiamento e ajudar o consumidor a vender seu usado por preço melhor”, avalia Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea.



MOTIVOS PARA MUDAR DE IDEIA



A pesquisa da Webmotors também mostrou o que poderia fazer mudar de ideia o consumidor que disse não planejar trocar de carro. Para 48% a redução de impostos aumentaria o desejo de compra, 45% apontam que taxas de juros mais baixas seriam um incentivo e outros 41% relatam que ficariam propensos a adquirir um veículo se obtivesse valor maior pela venda de seu usado. Melhores condições de financiamento (29%), bônus do governo para compra de um zero-quilômetro (29%) e início do pagamento de parcelas em 2021 (18%) são os outros motivos bem ranqueados para fomentar a decisão de comprar um carro no cenário atual.

Para os que mantêm o interesse em comprar um carro, entre os motivos que levariam a antecipar essa decisão, 46% disseram que seria o pagamento de 100% da tabela Fipe no usado, a redução de impostos seria um bom motivo para 42% e 39% ficariam motivados com taxas de juros menores. Bônus do governo para compra de um zero-quilômetro (32%), melhores condições de financiamento (28%) e início do pagamento em 2021 (24%) são os outros incentivos melhor ranqueados pelos consumidores.

“A pesquisa deixa bem claro que redução de impostos e juros mais baixos são os principais fatores que moveriam o consumidor da posição de adiar a compra para decidir comprar”, afirma Eduardo Jurcevic, CEO da Webmotors, que fez a apresentação dolevantamento na terça-feira, 23.

Entre aqueles 89% que mantêm a decisão de comprar um veículo, o levantamento aponta leve tendência de crescimento da opção por um zero-quilômetro: 16% querem ser o primeiro dono do carro, outros 16% têm dúvidas e 68% optariam por um usado – em 2019, a Webmotors destaca que 85% tinham intenção de adquirir um modelo de segunda-mão.

A pesquisa revela ainda que entre os ouvidos, 66% disseram que após a quarentena descartam usar o transporte público (ônibus, metrô e trens), 37% não querem usar ônibus fretados, 36% vão evitar ônibus para viagens rodoviárias e 29% vão fugir de carros por aplicativos e táxis. Esse resultado aponta para o maior desejo das pessoas de ter um carro próprio para reduzir as chances de contágio pela Covid-19, ao mesmo tempo em que demonstra a necessidade de implementar medidas de segurança sanitário nos meios de transporte coletivo.



- Acesse aqui a pesquisa completa encomendada pela Anfavea à Webmotors





Tags: Mercado, pesquisa, intenção de compra, Anfavea, Webmotors, pandemia, coronavírus, Covid-19.

Comentários

  • Carlos

    Ninguemsabia disso ? Essa é boa.... A Empresa só precisa dar uma certeza de emprego ao funcionário que até eu iria comprar 2 carros agora mesmo. Com isso a economia iria melhorar agora mesmo . Mais não, a empresa so quer deixar o funcionário com medo, como a montadora que trabalho está fazendo. Que absurdo.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência