Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Eventos | 22/09/2020 | 17h17

IQA debate os rumos da qualidade em tempos de pandemia

Trilha da Qualidade Automotiva reforça que transformação digital requer mudança cultural

SUELI REIS, AB

O Instituto da Qualidade Automotiva – IQA – reuniu seus especialistas e convidados da indústria para debater os rumos da qualidade em tempos de pandemia, como forma de ajudar a dar novas respostas para o setor que está em plena transformação. O evento denominado Trilha da Qualidade Automotiva foi realizado de forma totalmente online na manhã da terça-feira, 22, e contou com três painéis de discussão.

Na abertura, o diretor executivo do IQA, Cláudio Moyses falou sobre os impactos que a pandemia trouxe no âmbito do trabalho do instituto, que mesmo com a urgência de adotar o home office para toda a equipe inicialmente, conseguiu dar continuidade aos processos. Segundo o executivo, o resultado foi a aceleração digital dos processos, de forma que no período lançou as primeiras auditorias virtuais.

Para o diretor do IQA, o grande desafio atual está em primeiro entender o problema que acerca a qualidade automotiva como um todo e responder a este problema de forma eficaz e acertada: “Temos uma indústria 3.0 que está em transformação para a 4.0, mas falta integração digital e colaboração dentro desta nova cultura. Precisa transformar processos e pessoas e é aí que entra papel do gestor, de focar na transformação cultural”, alertou.

O superintendente da entidade, Alexandre Xavier reforçou que embora a equipe esteja voltando aos poucos para o escritório após longo período de trabalho remoto, nenhum processo de certificação deixou de ser feito.

“Houve um aumento importante de aceitação de certificações remotas, que é um pilar fundamental para a estratégia dos próximos anos com a transformação digital. Acredito que no pós-pandemia será um modelo híbrido de atuação”, comenta Alexandre Xavier.



No segundo painel, os convidados falaram sobre como os diferentes elos da cadeia de valor entenderam e responderam às novas demandas e necessidades dos últimos meses. O diretor executivo do Sindirepa, Luiz Sérgio Alvarenga, destacou como as oficinas conseguiram se erguer mesmo em meio a quarentena e isolamento social, medidas que derrubaram os negócios e as vendas: alternativas como leva e traz, no qual o cliente não precisava ir até a oficina, foi uma das soluções encontradas.

“No conjunto da obra, o setor teve retomada muito rápida, até porque foi considerada pouco tempo depois como uma das atividades essenciais”, disse Alvarenga.

Por sua vez, Alexandre Bruno Kosima, chefe do departamento de processos e TPS da Toyota do Brasil, destaca que a pandemia mostrou múltiplas oportunidades de melhoras de processos, contando com a ajuda dos próprios funcionários, ao ajustar suas rotinas de trabalho com a adoção das medidas de prevenção nas fábricas.

O diretor de qualidade da ZF, Marcelo Oliveira falou da importância da comunicação entre empresa e empregado para manter o ambiente de trabalho saudável e ao mesmo tempo tentar aliviar a tensão criada com a pandemia. Além disso, a retomada já indica um novo crescimento do mercado para os próximos meses.

“O desafio era restabelecer a demanda, mas já estamos a 90% do que estávamos produzindo no período pré-pandemia. Algumas unidades da ZF já voltaram a operar com volume acima do que estava antes e outras já contam com volume que supera o planejado para 2020”, revela o diretor da ZF.



Por fim, um painel sobre home-office debateu as novas possibilidades do trabalho a partir da adoção do trabalho remoto, o que se mostra como a mais nova realidade para muitas administrações do setor. Participaram desta mesa online Francisco Tripodi, sócio-diretor da Pieracciani Consultoria, Elias Mufarej, conselheiro do Sindipeças, e Moacyr Jacinto, diretor de RH da PSA na América Latina.

Os participantes concordaram que todo o setor já acordou para a transformação digital, embora a transição deva ocorrer de forma muito escalonada e em diversos níveis de toda a cadeia. Quanto à mudança de processos, o trabalho remoto trouxe muitos benefícios, incluindo para dentro das instituições:

“O home office deu uma mobilidade muito maior e participação muito ativa em nossas reuniões: se antes reuníamos dez ou vinte diretores de empresas, hoje, essa reuniões contam com mais de noventa participantes, tornando os encontros muito mais produtivos”, comenta Elias Mufarej.





Tags: IQA, Instituto da Qualidade Automotiva, qualidade, pandemia, indústria, Sindirepa, Sindipeças, ZF, PSA, Toyota, Pieracciani Consultoria.

Comentários

  • GilsonPaula Lopes de Souza

    Conteúdoatual e apresentado pelos especialistas em profundidade e precisão. Parabéns!

  • RobertoWerner Lotz

    Excelenteiniciativa a realização desse debate tao necessário nesses dias atuais de incertezas mas com a abertura de novas e surpreendentes oportunidades. Como dizemos, nada se perde, nada se cria, tudo se transforma. Precisamos nos adaptar a essa nova realidade. Os que possuem flexibilidade e abertos a mudanças com certeza irão sobreviver.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência