Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Primeiro ônibus rodoviário elétrico do País vai rodar no Espírito Santo

Elétricos | 22/10/2020 | 17h06

Primeiro ônibus rodoviário elétrico do País vai rodar no Espírito Santo

Modelo tem chassi feito pela BYD, carroceria Marcopolo e será operado em parceria pela Vix Logística e EDP

REDAÇÃO AB

O primeiro ônibus elétrico para rotas rodoviárias do Brasil será usado em serviços de fretamento pela empresa Vix Logística nas estradas do Espírito Santo, em um projeto piloto coordenado pela EDP. O veículo possui chassi produzido pela BYD, carroceria Marcopolo Viaggio 1050 e conta com diversas tecnologias de segurança e de assistência ao motorista.




O objetivo desta primeira operação é avaliar o modelo de negócio, as condições e o custo-benefício para uma possível ampliação futura (inclusive em outros mercados e com novos parceiros), além de testar as funcionalidades do sistema.

O projeto, com duração prevista de 18 meses e investimento total de R$ 6,6 milhões, é composto pelo ônibus elétrico e quatro estações de recarga, resultado da parceria entre as empresas EDP (responsável pela gestão do projeto, fornecimento dos serviços de mobilidade elétrica e pela operação dos carregadores), Vix Logística (operadora do ônibus), WEG (recarga rápida das baterias) e Certi (estudos de mercado e análise da viabilidade econômica), e a.

Duas das quatro estações de recarga da WEG ficam nas garagens do grupo Águia Branca (proprietário da Vix) e as outras duas em locais próximos aos clientes da empresa. Estima-se que o carregamento das baterias de íons de lítio do ônibus demore entre 3 e 4 horas (dependendo do nível delas), garantindo autonomia para rodar de 250 km a 350 km. O veículo também tem sistema de regeneração que aproveita a energia gerada nas frenagens para recarregar as baterias.

Produzido pela BYD, o D9F é o primeiro chassi para ônibus elétrico destinado a operações de fretamento em curtas e médias distâncias do País. O veículo conta com dois motores elétricos integrados às rodas do eixo traseiro que produzem o equivalente a 410 cavalos. O modelo em teste tem 12,9 m de comprimento e capacidade para 44 passageiros.

CUSTO OPERACIONAL 70% MENOR



“Este é um projeto pioneiro, que nos permitirá conhecer e avaliar a viabilidade técnico-econômica da eletrificação do sistema de transporte rodoviário de passageiros”, afirmou Kaumer Chieppe, presidente da Vix Logística. “O projeto contará com testes em ambiente real, em linhas selecionadas e nos possibilitará evoluir para a obtenção de custos competitivos em tecnologias alternativas ao diesel para ofertar e gerar valor aos nossos clientes”, completou.

“Investir em mobilidade elétrica é sempre uma forma eficaz e de grande impacto ao meio ambiente; cada ônibus a diesel substituído por um elétrico é um ganho para o planeta”, afirmou Marcello Schneider, diretor da divisão de ônibus da BYD Brasil. “Além de não poluentes, os ônibus da BYD são econômicos, tendo custo operacional 70% menor que o de um ônibus convencional”, acrescentou.

O presidente da Vix Logística lembrou ainda que o veículo contará com uma série de dispositivos de segurança e de assistência ao motorista, como conjunto de câmeras que oferecem visão 360° para facilitar as manobras, sensor de visão térmica, detector de fadiga do motorista, alerta de mudança de faixa, sistema de prevenção de colisões, entre outros.



Tags: Elétricos, BYD, Vix Logística, EDP, ônibus, elétrico, rodoviário, Marcopolo, Viaggio, WEG, Certi, Kaumer Chieppe, Marcello Schneider.

Comentários

  • Denis

    Qualé o impacto da produção da energia elétrica? E a pegada de carbono do ciclo de vida do produto? Questões para refletir e aos poucos avançar.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência