Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Produção de caminhões deve fechar 2020 acima do esperado

Indústria | 07/12/2020 | 16h54

Produção de caminhões deve fechar 2020 acima do esperado

Volume pode chegar a 87 mil unidades, mais do que as 83 mil previstas pela Anfavea

SUELI REIS, AB

A produção de caminhões deve fechar 2020 melhor do que o previsto pela Anfavea, devendo chegar a 87 mil unidades no ano. A nova estimativa foi feita pela própria entidade na segunda-feira, 7, durante sua coletiva mensal de imprensa para divulgação dos números de novembro. Em outubro, quando a associação das fabricantes havia divulgado revisão das projeções, indicou que encerraria o ano com 83,5 mil caminhões produzidos.



- Faça aqui o download dos dados da Anfavea
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência



Ainda assim, o novo volume previsto pelas montadoras vai representar uma queda de 13% sobre o resultado de 2019, melhor que a retração de 18% esperada anteriormente.

Segundo o vice-presidente da Anfavea, Marco Saltini, após as paralisações das fábricas março, abril e maio, o segmento de caminhões já vinha com uma recuperação ao longo dos meses, demonstrando ter sido o menos impactado pela crise do coronavírus. Em novembro, o setor demonstrou maior fôlego com 11,5 mil unidades montadas, volume 5,2% maior que o de outubro. O melhor indicativo veio na comparação anual: sobre novembro de 2019, este volume de produção representou aumento de quase 31%.

“Este foi o melhor novembro desde 2014. Isso já mostra que a previsão que a gente fez, na última revisão de outubro e que apontava uma queda de 18% em caminhões, pode ser um pouco melhor, pode ser uma queda de 14%. Claro que isso também vai depender principalmente da questão de abastecimento de matéria-prima que temos visto na indústria em geral, mas a tendência é de que continue nesse ritmo, que é muito positivo”, diz Saltini.



Apesar de comemorar o resultado de novembro, a Anfavea reforça que o desempenho do acumulado do ano ainda significa queda com relação a 2019. Em onze meses, as fábricas brasileiras montaram 80,5 mil caminhões, 25% menos do que em igual período do ano passado.

“Ainda está muito aquém da nossa capacidade, mas não se pode esquecer que isso ainda é reflexo da paralisação de um mês ou mais por causa da Covid-19. É um alento para uma recuperação da produção, ainda que seja com essa queda de 25% e sendo o pior acumulado janeiro-novembro desde 2017”, disse o vice-presidente da Anfavea.

Ele lembrou ainda que o setor de caminhões está com ociosidade em torno dos 60%. “Já foi pior, chegamos a rodar dois anos num nível de 4 mil unidades por mês em toda a indústria. Hoje, algumas fábricas até estão trabalhando com dois turnos, mas não por causa de volume, mas por devido aos protocolos de segurança e distanciamento, que mudaram a velocidade da produção, tornando necessária a adoção desses novos turnos para atender a demanda atual.”

Os dados da Anfavea mostram que a produção é claro reflexo de um mercado que voltou ao seu ritmo mais rápido que o esperado. Em novembro, com mais de 9 mil emplacamentos, as vendas de caminhões aumentaram 15,6% com relação a outubro. No entanto, no acumulado de onze meses, ainda há queda de 14% no comparativo anual: o mercado brasileiro consumiu 79,8 mil caminhões este ano contra os 92,7 mil comprados até novembro do ano passado.

Para Saltini, com a melhora significativa dos volumes de caminhões ao longo dos últimos meses, o setor de veículos pesados - que considera a soma de caminhões e ônibus - deverá fechar 2020 com uma queda entre 14% e 15%, melhor que o índice de queda esperado anteriormente, que era de 21%. Ele acrescenta que em outubro, a Anfavea esperava fechar o ano com 97 mil veículos pesados, entre caminhões e ônibus.

“Em termos de produção, é capaz da gente bater nas 100 mil unidades, talvez até um pouquinho mais, não por causa dos ônibus, mas por causa da melhora dos caminhões”, conclui Saltini.





Tags: Produção, caminhões, Anfavea, venda de caminhões, Marco Saltini, fabrica de caminhões.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência