Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
BNDES quer garantir crédito o ano inteiro para máquinas agrícolas a partir de 2021

Mercado | 11/12/2020 | 18h13

BNDES quer garantir crédito o ano inteiro para máquinas agrícolas a partir de 2021

Nova linha BNDES Crédito Rural lançada em 2020 será definitiva e disponível para pequenos e grandes produtores

SUELI REIS, AB

O Banco Nacional do Desenvolvimento Social – BNDES – vai garantir crédito para o financiamento de máquinas e equipamentos agrícolas ao longo de todo o ano de 2021 e os seguintes. Esta é a premissa da nova linha de recursos BNDES Crédito Rural, que começou a operar em março deste ano. A nova linha foi tema de um debate promovido pela Anfavea, associação das montadoras de veículos, de máquinas agrícolas e de construção, realizada de forma virtual na sexta-feira, 11. A live contou com a participação do presidente da entidade, Luiz Carlos Moraes, de seu vice-presidente e membro do comitê interno para máquinas agrícolas, Alexandre Bernardes, e do representante do BNDES, Gabriel Aidar.

“Essa é uma linha complementar aos recursos do Plano Safra e a ideia é que não falte crédito. Com ela, são oferecidos recursos não equalizados – aqueles que dependem do orçamento do Tesouro Nacional, como o Moderfrota Pronaf e demais programas. O BNDES Crédito Rural garante financiar com condições favoráveis ao produtor rural e traz a menor taxa que o banco pode operar”, salienta Gabriel Aidar, do BNDES.



A nova linha do BNDES pode financiar tanto os projetos de investimentos – como construção ou ampliação de armazéns, projetos de irrigação etc. – quanto a aquisição de máquinas e equipamentos agrícolas de forma isolada, com 100% de financiamento do valor para ambos os casos. No caso de máquinas e equipamentos agrícolas, o prazo total é de até 10 anos com carência de até 2 anos. O crédito também é disponível para produtores rurais da agricultura familiar.

Os dados do banco mostram que os recursos têm sido amplamente procurados e utilizados pelo setor do agronegócio: de março a outubro, o número de operações superou os 2,7 mil contratos para a aquisição de máquinas agrícolas, enquanto os contratos para investimentos estão em 583. Com os contratos de novembro, o total de recursos aprovados passa de R$ 1,3 bilhão, sendo R$ 300 milhões aprovados só em novembro.

O vice-presidente da Anfavea, Alexandre Bernardes comemora a linha de financiamento adicional oferecida pelo BNDES: “O produtor rural precisa de basicamente duas coisas para operar: previsibilidade e uma linha direta com São Pedro: e a previsibilidade é o grande complicador”, ilustra. “Todos os elos do agro, seja a indústria, seja o agricultor, precisam contar com recursos suficientes durante todo o ano-safra e qualquer linha que o cliente tenha disponível é sempre importante”, comenta.

O representante do BNDES indica que em 2020 as linhas de financiamento para máquinas agrícolas disponíveis para o produtor rural, como Moderfrota, Pronaf, Inovagro e Pronamp, entre outras, esgotaram seus recursos em tempo recorde. “Muitos desses programas fecharam com dois ou três meses; a demanda foi muito forte.”

Essas linhas, que fazem parte dos recursos dispostos pelo governo no Plano Safra, têm como premissa o crédito equalizado pelo Tesouro Nacional, ou seja, há um limite para cada um deles, conforme o teto do governo. Em 2019, por exemplo, o fim dos recursos fez com que o mercado de máquinas agrícolas perdesse algo em torno de três meses de vendas por falta de crédito no mercado. Neste ano, os créditos aprovados pelo orçamento equalizado é de quase dos R$ 12 bilhões, valor 32% maior que o do ano passado.

CRÉDITO EM ALTA REFLETE RETOMADA DO MERCADO



Números da Anfavea mostram o comparativo do mercado de máquinas agrícolas e de construção entre 2020 e 2019

O apetite de crédito pelos produtores reflete no mercado de máquinas agrícolas: no acumulado de janeiro a novembro de 2020, o volume de vendas é 4% maior que o de igual período do ano passado, com 42 mil unidades, de acordo com os números da Anfavea (leia aqui).

Segundo Alexandre Bernardes, mesmo sem a realização de feiras agrícolas neste ano (todas foram canceladas por causa da pandemia), o mercado surpreendeu e superou as expectativas das fabricantes, que chegaram a estimar vendas menores em 2020 por causa da falta de eventos de demonstração e negócios. Ele indica que a tendência de crescimento das vendas do setor deve se manter em 2021:

“O que posso dizer sobre 2021 é que os primeiros cinco meses já são muito bons: os clientes já venderam grande parte de suas safras, estão capitalizados e já começaram o plantio, que também vai bem. Estamos vendo condições favoráveis para o primeiro semestre. Já para o segundo, temos que esperar para ver como vai se comportar o mercado das commodities”, afirma o vice-presidente da Anfavea.



Por outro lado, o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, indica que a indústria ainda tenta resolver o problema de desabastecimento de insumos nas linhas de montagem, o que inclui várias montadoras de máquinas e também de caminhões, também muito requisitado pelo setor agro.

“Todas as montadoras estão passando por esse momento crítico de desbalanceamento da cadeia e isso se estende para material importado. Esperamos que essa segunda onda [de contágio do novo coronavírus] não traga problemas adicionais nem para nossos fornecedores lá fora nem para os daqui do Brasil”, comenta.



Tags: BNDES, crédito, máquinas agrícolas, financiamento de máquinas agrícolas, Anfavea, Plano Safra, Moderfrota, recursos financeiros, bancos de montadoras, Luiz Carlos de Moraes, Alexandre Bernardes, Gabriel Aidar.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência