Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

| 05/06/2010 | 00h00

Consumo total de gás cresce 22,2% em 12 meses

Uso na área industrial subiu 33% até abril.

Fonte: Wellington Bahnemann, Agência Estado

A recuperação da atividade econômica está impulsionando a demanda de gás natural no Brasil. Dados da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) mostram que o consumo de gás em abril de 2010 somou 40,15 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d), alta de 22,2% na comparação com igual intervalo de 2009. Excluindo as térmicas, o mercado não-térmico (indústrias, residências, comércio, automotivo, entre outros) cresceu 25,1% no período, de 28,84 milhões de m³/d para 36,10 milhões de m³/d. Na comparação entre março e abril de 2010, o consumo total de gás natural no País aumentou 1,3%.

A forte demanda industrial explica a recuperação das vendas apuradas pelas concessionárias de gás estaduais. Segundo a Abegás, o consumo industrial cresceu 33,08% entre abril de 2010 e igual mês de 2009, para 25,62 milhões de m³/d. Isso reflete a recuperação da atividade econômica e, ao mesmo tempo, uma base de comparação mais fraca, considerando que o início de 2009 foi afetado pela crise econômica global. A demanda de gás para cogeração (que também inclui indústrias) aumentou 45,2% neste intervalo, para 2,74 milhões de m³/d.

Os mercados de pequenos volumes também demonstram trajetória positiva. O consumo residencial aumentou 14,5% no período, para 773,2 mil m?/d. As vendas para segmento comercial cresceram 6,64%, para 598,1 mil m³/d. A demanda pelo gás natural veicular (GNV), por sua vez, recuou 5,65%, para 5,41 milhões de m³/d. Essa queda reflete a menor competitividade do GNV em comparação com outros combustíveis, como o etanol.

O consumo de gás natural pelas termelétricas ficou em um patamar estável entre abril de 2010 e igual mês de 2009. A Abegás registrou uma ligeira variação positiva de 0,9%, para 4,04 milhões de m³/d. A menor demanda das térmicas reflete a situação confortável do nível dos reservatórios das hidrelétricas, o que diminui a necessidade do despacho das termelétricas para garantir o abastecimento de energia elétrica do País.

Entre as regiões do País, as maiores vendas foram registradas no Estado de São Paulo, com 14,58 milhões de m³/d. O Rio de Janeiro ficou em segundo lugar, com um consumo de 8,96 milhões de m³/d, seguido pela Bahia, com 3,58 milhões de m³/d, por Pernambuco, com 2,54 milhões de m³/d, e por Santa Catarina, com 1,74 milhão de m³/d.

Fonte: Wellington Bahnemann, Agência Estado.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência