Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 31/08/2010 | 00h00

Cosan diz que marca Esso deve desaparecer

Ometto desta bioeletricidade durante a Fenasucro.

Paulo Braga, Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Paulo Ricardo Braga, AB

O presidente do Conselho de Administração da Cosan, Rubens Ometto, disse na segunda-feira, 30, que a tendência é a marca Esso desaparecer no médio prazo, dentro da nova estrutura formada pela joint venture com Shell, confirmada na semana passada. Segundo o executivo, a marca Shell tende a prevalecer na nova estrutura. "Tudo está sendo organizado, mas é natural que a Shell tenha prioridade", informou.

Ometto participou do 12º Fórum Internacional sobre o Futuro do Álcool, que está sendo realizado em Sertãozinho, SP, na região de Ribeirão Preto, e faz parte da Feira Internacional da Indústria Sucroalcooleira (Fenasucro). Ele afirmou que a redução dos impostos incidentes sobre o etanol seria a medida mais eficaz para acabar com a sonegação fiscal no setor.

Ometto ressaltou o exemplo do Estado de São Paulo, que reduziu o ICMS para 12%, e que deveria ser seguido pelos demais Estados. "A equalização do ICMS depende de vontade política e, nesse sentido, o Estado de São Paulo é um exemplo a ser seguido."

O presidente da Cosan comentou não compartilhar com as críticas do setor sucroalcooleiro em relação à atuação do BNDES. O executivo disse que não tem queixas sobre a atuação do banco em relação à Cosan. "O BNDES sempre agiu de forma profissional com a Cosan", informou.

Ometto declarou, ainda, que o governo ainda entendeu a importância da bioeletricidade gerada a partir do bagaço da cana-de-açúcar para abastecer a matriz energética brasileira. "Os preços que estão sendo ofertados nos leilões são inviáveis", reclamou. Ele garantiu que a palha de cana, por exemplo, que não está sendo utilizada, poderia contribuir de forma expressiva no abastecimento de energia elétrica no País. Segundo ele, o governo poderia oferecer em um primeiro momento preços melhores que permitissem que as usinas "retrofit" se equipassem e que, a partir de então, esses valores fossem se reduzindo gradualmente.

Sobre a recém-acordada joint venture com a Shell, Ometto declarou que ainda não pode divulgar dados referentes à sinergia gerada pelo acordo. Ele disse, contudo, que essa sinergia não virá apenas da rede de postos de combustíveis, mas também a partir das áreas de tecnologia da informação, financeira e administrativa das empresas. Ometto foi agraciado hoje com o título de Presidente de Honra da Fenasucro 2010. "Agora aqui quem manda sou eu", brincou ele ao ser empossado na presidência do evento.



Tags: álcool, etanol, Cosan, Esso, Shell, combustível.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência