Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 30/09/2010 | 12h20

Porsche tem faturamento recorde

Companhia registrou crescimento de 17,9% no ano fiscal.

Giovanna Riato, Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Giovanna Riato, AB

A Porsche fechou o ano fiscal 2009/2010 com o maior faturamento da história da companhia: uma alta de 17,9% para € 7,79 bilhões. O volume de vendas cresceu 8,8%, com mais de 81 mil unidades contra 75.238 no ano anterior. O Cayenne continuou líder, com cerca de 29 mil unidades comercializadas, seguido do Panamera, com mais de 20 mil.

Duas mudanças marcaram o ano recorde da companhia. A primeira foi a queda de 27,4% nas vendas da linha 911, já que os superesportivos perderam mercado com a desaceleração da economia. Outra tendência foi o crescimento de 25,8% nas vendas fora dos principais mercados, com mais de 25 mil veículos e quase metade do volume destinado à China, que consumiu 11.724 carros.

A expansão na Europa, mercado tradicional da montadora, foi mais sutil, com avanço de 1,4% para 30.948 unidades. O mercado alemão, que absorveu 11.857 veículos, teve queda de 3,5% sobre o ano anterior. Já nos Estados Unidos foram vendidos mais de 23 mil unidades, uma alta de 4% na comparação com o ano anterior.

O aquecimento das vendas puxou um aumento de 16,1% na produção no ano, quando 89.123 carros saíram das linhas de montagem da marca. O número de funcionários também sofreu ligeira alta de cerca de 1%, para 12.722 colaboradores.

Foto: Cayenne 2011/divulgação.



Tags: Porsche, Cayenne, 911, Panamera, vendas, mercado.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV