Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Combustíveis | 04/11/2010 | 12h29

Estrangeiros terão 40% do etanol brasileiro até 2015

Petroleiras são as mais interessadas no segmento.

Agência Estado

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Agência Estado

Nos próximos cinco anos, 40% da produção brasileira de etanol estará nas mãos de estrangeiros. A projeção foi apresentada ontem pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) no Congresso Mundial do Etanol, que reúne em Genebra as maiores indústrias de biocombustíveis.

A projeção foi considerada por empresários como o melhor espelho da revolução silenciosa que sofre o setor no mundo. Após dois anos de uma crise sem precedentes, os produtores de etanol passam por uma profunda reestruturação. A liderança de aquisições e fusões, porém, não está nas mãos de grupos agrícolas, mas sim de grandes empresas petroleiras do mundo.

Nesta quarta-feira, 3, Shell, BP, Petrobras e outras multinacionais do setor de energia anunciaram que se preparam para fazer investimentos substanciais nos próximos anos no setor de etanol. Para elas, o biocombustível é a opção “mais realista” para complementar o petróleo nos próximos 30 anos e, nessa estratégia, o Brasil é o principal alvo.

“Para as multinacionais de energia, o etanol é visto como uma fonte de energia mais acessível que o petróleo no Ártico, as reservas nos países da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) ou a gasolina da Venezuela”, admitiu James Primrose, chefe de estratégia da BP Biocombustíveis.

“Em 2007, apenas 7% do setor do etanol do Brasil estava em mãos estrangeiras. Nossa previsão para 2010 era de que essa taxa chegaria a 12%. Mas o que vimos foi que o número hoje já é de 22%”, disse o representante chefe da Unica para a União Europeia, Emmanuel Desplechin. Essa tendência vai continuar e até se aprofundar.

“Nos próximos cinco anos, a projeção é de que 40% do setor seja já internacionalizado no Brasil”, destacou. Segundo ele, os investimentos desde 2005 permitiram uma expansão da produção do etanol de 70% no País.

Com informações do Estadão.



Tags: Shell, BP, Petrobras, Única, Opep, biocombustível, etanol, petróleo.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV