Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 24/11/2010 | 17h36

Meirelles espera que autonomia do BC seja mantida

Alenxandre Tombini deve suceder atual presidente da entidade.

Jorge Wamburg, Agência Brasil

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Jorge Wamburg, Agência Brasil

Ao deixar o Senado Federal, onde participou de audiência pública sobre a atuação do Banco Central (BC) e da Caixa Econômica Federal na crise do Banco PanAmericano, o presidente do BC, Henrique Meirelles, disse acreditar na manutenção da autonomia da autoridade monetária, porque a instituição “tem uma ação de sucesso nos últimos anos, reconhecida mundialmente, baseada na autonomia”.

Sobre o futuro do BC e a possibilidade de a autonomia da instituição diminuir no futuro governo, ele respondeu que a imprensa está entrando “no campo das especulações. Isso aí compete à presidenta da República e ao novo presidente do Banco Central esclarecer, no devido tempo”.

Meirelles disse que só fará qualquer comentário sobre o economista convidado para sucedê-lo, Alenxandre Tombini, quando seu nome for aprovado pelo Senado. O presidente do BC afirmou que sua decisão de deixar o cargo, confirmada oficialmente por ele nesta quarta-feira, 24, pela manhã, “foi individual” e independe de situações de outras pessoas, “que não têm o mesmo tempo de governo ou a mesma situação em que estou no momento”.

A resposta foi dada a uma pergunta sobre como se sentia com a possível continuação de outros ministros nos cargos. “O que eu disse é que completo oito anos, considero minha missão cumprida, já em processo de término e tinha já a intenção de terminar meu trabalho juntamente com o mandato do presidente Lula. Portanto, estou extremamente gratificado e feliz”.

Ele disse ter motivos para celebrar porque “as coisas no Brasil vão muito bem” e preferiu não falar sobre seu futuro profissional que pode ser no setor público ou privado, na vida política ou no terceiro setor. “Certamente, questões relativas a futuro serão discutidas no momento adequado”.

Perguntado se a demora em descobrir a crise do Banco PanAmericano seria fruto de falha de fiscalização, Meirelles disse que “listamos [técnicos do BC] toda uma série detalhada de órgãos de controle interno e externo que têm essa responsabilidade e isso tudo será apurado na investigação do Banco Central, do Conselho Federal de Contabilidade, da Comissão de Valores Mobiliários [CVM] e, na esfera criminal, pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal”.

Segundo ele, o BC já abriu processo administrativo para investigar a ação dos administradores, conselhos, diretores e dos auditores do Banco PanAmericano.



Tags: BC, Tombini, Meirelles, Banco Central, economia.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência