Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Automóveis e Comerciais Leves | 09/12/2010 | 23h29

Fiat terá fábrica de carros em Pernambuco

Anúncio pode ser feito pelo presidente Lula na terça-feira.

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Automotive Business

A Fiat Automóveis confirmou ao jornalista Pedro Kutney, de Automotive Business, nesta quinta-feira à noite, que está negociando com o governo de Pernambuco a construção de uma fábrica na região.

A assessoria de imprensa da fabricante de veículos não deu maiores detalhes sobre a operação mas sabe-se que o presidente Lula poderá estar em Recife na próxima terça-feira, quando o anúncio formal da nova fábrica da Fiat seria feito. Notícias de bastidores informam que será uma fábrica de porte, que exigirá US$ 1 bilhão a US$ 2 bilhões em aplicações e deve levar a Pernambuco também um número expressivo de fornecedores. O modelo adotado deve ser similar ao da GM em Gravataí, RS, ou ao da Ford em Camaçari, na Bahia, com empresas de autopeças e sistemistas agrupados ao redor da fábrica.

Os recursos para o empreendimento fazem parte dos R$ 10 bilhões já anunciados pelo grupo Fiat no País nos próximos quatro anos, dos quais 70% serão destinados à operação em Minas Gerais, incluindo automóveis, caminhões (Iveco), máquinas agrícolas (CNH), motores (FPT) e autopeças (Marelli).

Como os benefícios especiais na região são válidos apenas para empresas já inscritas no programa, a Fiat adquire por meio da Magneti Marelli a TCA, fabricante de chicotes elétricos instalada no município desde a década de 1960.

A intenção da Fiat foi confirmada por alguns de seus fornecedores, reunidos para o encontro de confraternização de final de ano na noite desta quinta-feira, 9. Quase ao mesmo tempo a notícia surgiu no Portal Exame. O jornalista Pedro Kutney já havia obtido durante o dia sinais de que a decisão deveria ser concretizada a curto prazo, em tempo do presidente Lula fazer o anúncio em seu governo.

A Fiat deve aproveitar a infraestrutura do complexo portuário de Suape, onde a General Motors inaugurou em maio a central logística no Complexo Industrial e Portuário Governador Eraldo Gueiros (Porto de Suape), em Ipojuca, PE, a 57 quilômetros de Recife. O objetivo é receber veículos importados para armazenagem e distribuição a 14 estados do nordeste e norte do Brasil.

Embora o presidente da GM para a América do Sul, Jaime Ardila, tenha reconhecido o grande potencial de crescimento de Pernambuco não levou adiante o sonho do governo local de ter uma montadora de veículos. Agora, com a Fiat, as coisas devem mudar de figura.

Incentivos fiscais

A iniciativa da Fiat no Nordeste deve aproveitar o programa de incentivos fiscais para instalação de indústrias de veículos, autopeças, caminhões e tratores no Centro-Oeste, Nordeste e Norte, ampliado para investimentos em pesquisa e desenvolvimento.

Para estender o uso do chamado crédito presumido do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) pelo setor, a Medida Provisória nº 512, publicada no Diário Oficial da União, autoriza a apresentação de novos projetos de inovação tecnológica por parte de empresas instaladas nessas três regiões ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), até o dia 29 de dezembro deste ano.

Pelo mecanismo, que já existe para projetos antigos e que foi ampliado em meados deste ano até 2015, as companhias habilitadas podem compensar parte dos pagamentos das contribuições de PIS e Cofins por meio de créditos de IPI obtidos nas vendas no mercado interno, desde que destinem ao menos 10% do valor do crédito gerado a investimentos nas áreas de pesquisa e desenvolvimento de novos produtos.



Tags: Fiat, GM, Suape, investimentos, Iveco, CNH, FPT, Marelli.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência