Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Insumos | 23/03/2011 | 15h49

Oferta de minério de ferro ficará apertada nos próximos anos

Vale diz que embarques de matérias-primas da Índia continuarão a recuar.

Clarissa Mangueira, Agência Estado

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Clarissa Mangueira, Agência Estado

A oferta de minério de ferro ficará apertada "nos próximos anos", visto que não há previsão para que nenhum dos novos e grandes projetos de minério de ferro inicie produção, afirmou presidente da Vale Minerals China, Luiz Meriz.

O executivo disse numa conferência que os embarques de minério de ferro provenientes da Índia continuarão a recuar, depois que o país quadruplicou suas tarifas de exportação de minério de ferro fino a fim de conservar o abastecimento doméstico. A Índia exporta normalmente cerca de 100 milhões de toneladas de minério de ferro por ano. Meriz afirmou que espera que as exportações indianas recuem em 55 milhões de toneladas de minério de ferro em 2011.

Segundo participantes da conferência que reuniu profissionais da indústria, as siderúrgicas chinesas podem ser severamente afetadas pela queda acentuada nos embarques de matérias-primas da Índia. Estas siderúrgicas utilizam uma quantidade substancial de minério de ferro indiano e recentemente intensificaram a demanda pela matéria-prima mais barata do terceiro maior exportador do mundo, uma vez que os produtores australianos e brasileiros elevaram os preços para máximas recordes - US$ 200 a tonelada -, enquanto a capacidade de produção em outros países permanece limitada.

Meriz também destacou que o meio-oeste e o oeste da Índia vão gerar uma demanda significativa por aço, à medida que aumenta a urbanização e a industrialização da região.

O executivo afirmou que prevê que a capacidade de produção de pelotas minério de ferro da Vale alcançará 522 milhões de toneladas até 2015. Ele não mencionou o atual nível da produção. Meriz reiterou que a mineradora brasileira ainda deve continuar a negociar contratos trimestrais de preços e que não planeja mudar para o sistema mensal.

O executivo afirmou que não está preocupado com notícias publicadas na imprensa que apontaram uma tendência de queda dos preços do minério de ferro e excesso de oferta nos próximos dois ou três meses. "O minério de ferro da Vale tem o custo mais baixo no mundo e (nossa) participação de mercado não será muito afetada quando os preços caírem".

Meriz disse que o aperto da política monetária na China tornará difícil para as siderúrgicas deste país levantarem fundos, o que, por sua vez, pode afetar os negócios da Vale na China. As informações são da Dow Jones.



Tags: matéria-prima, minério de ferro, aço, Vale, Índia.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência