Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Tecnologia e Engenharia | 29/03/2011 | 08h41

Alta tecnologia ou frugal engineering?

Simpósio da SAE debateu tendências no setor automotivo.

Márcio Cúrcio, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Mário Curcio, AB

A indústria automobilística brasileira deve avançar no desenvolvimento de alta tecnologia para acompanhar o ritmo de países mais avançados na criação de veículos? Nem sempre, segundo Flávio Campos, diretor de Engenharia da Delphi, que utiliza a expressão 'frugal engineering' para situar a demanda tecnológica do mercado brasileiro.

Um dos resultados dessa 'engenharia simples' é a MAPEC, um novo conceito de central elétrica adequada para veículos de países emergentes que substitui uma série de equipamentos mecânicos por eletrônica embarcada em veículos de entrada, tornando possível a adição e atualização de novas funções e controles ao mesmo tempo em que remove conteúdo mecânico e elétrico (relês e fusíveis). A tecnologia traz a possibilidade de chaveamento de potência inteligente, gerenciamento de carga e otimização de arquitetura eletroeletrônica, podendo ser usada em diferentes configurações de projetos e plataformas.

Campos fez palestra nesta segunda-feira, 28, durante o simpósio SAE Novas Tecnologias, em São Paulo, e participou de uma sessão de debates sobre inovação com representantes da Bosch, Continental e Bosch. O executivo exibiu um quadro evolutivo, no Brasil, do uso de itens relativamente simples com ar-condicionado, freios ABS e air bags. Logo após, mostrou que em mercados mais maduros há espaço para tecnologias mais complexas, como os controles de segurança contra colisões e detecção e pedestres, por exemplo.

O diretor da Delphi alinhou as megatendências detectadas pela Delphi, que orientam o desenvolvimento de novos sistemas. Em regra, elas estão relacionadas a segurança, meio ambiente e conectividade.

Jair Pasquini, diretor de Engenharia e Desenvolvimento de Produto da Bosch, explicou os desafios da aplicação local e internacional de tecnologias no produto e falou da necessidade de sinergia entre os sistemas e componentes do veículo. Pasquini mencionou o envolvimento da Bosch no trabalho em veículos de plataforma internacional, a sinergia entre sistemas e componentes e as tendências de inovação do setor, entre outros aspectos.

Paulo Alves, diretor da unidade de Negócios Body & Security da Continental, recordou que sua companhia tem uma forte atuação na eletrônica e também se apoia em megatendências: meio ambiente, segurança, conectividade e carros de baixo custo são áreas de interesse da Continental.

Segundo Alves, a empresa investe em conteúdo eletrônico para aplicações específicas no mercado brasileiro. Entre os desenvolvimentos da Continental ele cita o PASE, sigla para Passive Access and Passive Start. Tal conteúdo facilita o acesso ao carro e a partida do motor sem necessidade de chave. A empresa também aposta no aumento do uso de displays no painel de instrumentos.

Outro representante dos sistemistas foi Ricardo Takahira, gerente de Novos Negócios, Infotainment e Telemática da Magneti Marelli. O engenheiro, especialista em eletrônica avançada, recordou a importância do Brasil para a companhia, por ser único país em que estão todas as divisões da Marelli: iluminação automotiva, sistemas eletrônicos, powertrain, suspensões, amortecedores, sistemas de exaustão, componentes plásticos e módulos, mais peças e serviços de pós-venda.



Tags: Tecnologia automotiva, SAE Brasil, Delphi, Bosch, Continental, Marelli.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência