Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Hyundai completa família brasileira com HB20S

Lançamentos | 04/03/2013 | 19h50

Hyundai completa família brasileira com HB20S

Versão sedã chega em abril a partir de R$ 39.495, mais caro que concorrentes

PEDRO KUTNEY, AB | De Foz do Iguaçu (PR)

A Hyundai aposta no apelo emocional que já criou com o HB20, que rapidamente se tornou o “queridinho” do mercado no lançamento mais bem-sucedido dos últimos anos, para vender a derivação sedã do modelo, o HB20S, que chega às concessionárias em 20 de abril próximo completando a gama de três integrantes da família HB, que conta também com o recém-lançado HB20X, com estilização aventureira. No segmento de sedãs a compra é mais racional, com grande peso do balanço custo-benefício, por isso a fabricante coreana mostra grande confiança na emotividade de seus clientes potenciais, pois posiciona o seu três-volumes compacto em faixas de preço mais altas do que a maioria dos concorrentes.

Equipado com eficiente motor 1.0 bicombustível de três cilindros e 80 cavalos quando abastecido com etanol – 6% acima da média de potência das motorizações 1 litro disponíveis no mercado brasileiro –, a versão mais barata Confort Plus tem preço sugerido de R$ 39.495 (já levando em conta a volta gradual do IPI). O bom pacote de equipamentos inclui ar-condicionado, direção assistida, computador de bordo, controle remoto de travamento na chave tipo canivete, acionamento elétrico dos vidros e airbags frontais. Ainda na opção 1.0, para acrescentar freios com ABS (antitravamento) e EBD (distribuição eletrônica de frenagem), rodas de liga leve, ajuste elétrico de retrovisores, faróis de neblina e pisca integrado aos retrovisores, o valor sobe para R$ 42.675.

Mesmo levando em conta a ampla lista de equipamentos desde a versão mais básica, os valores de ambas as opções com motorização 1 litro estão de R$ 10 mil a R$ 4,5 mil acima de todos os principais concorrentes, como Volkswagen Voyage, Fiat Siena e o recém-lançado Chevrolet Prisma (derivado do Onix). O HB20S 1.0 é mais caro até que os sedãs maiores da categoria “B” e com motor 1.4, os chamados cheap space (espaço barato), Chevrolet Cobalt e Fiat Grand Siena.

No caso das opções do HB20S com motor 1.6 de quatro cilindros e 128 cavalos abastecido com etanol (o mais potente da categoria), os preços também são altos em relação à concorrência. O 1.6 com câmbio manual de cinco marchas mais barato sai de R$ 44.995 e chega a R$ 50.795. Com câmbio automático, começa em R$ 51.375 e vai ao topo de R$ 53.995 (veja todos os preços no fim deste texto).

A Hyundai está bastante confortável para praticar preços mais altos. O hatchback HB20, lançado em outubro passado, formou filas de espera nas concessionárias. Foram vendidas 22 mil unidades em menos de três meses de mercado em 2012 e em fevereiro o carro foi o quarto mais vendido do País. O ritmo de vendas atual está quase igual à capacidade total da fábrica de Piracicaba (SP), de 150 mil carros/ano em dois turnos de trabalho. Com a linha de produção em ocupada para dar conta da demanda, situar o HB20S com preço superior à concorrência é uma maneira de regular o ritmo da planta brasileira e ganhar rentabilidade.

APELO EMOCIONAL

Hyundai
Hyundai aposta no design moderno para vender o HB20S mais caro do que os concorrentes

“Privilegiamos o lado racional com o pacote de equipamentos que nenhum outro carro do mesmo segmento tem, e temos o apelo emocional do design moderno do modelo”, avalia Rodolfo Stopa, gerente de produto da Hyundai. “Não adianta oferecer um modelo sem equipamentos, não vende. Nosso cliente quer um veículo mais completo”, argumenta. Ele admite que as pesquisas mostrem, nessa faixa do mercado, um cliente potencial masculino, na faixa dos 30 a 50 anos, casado, com filhos e mais velho do que o comprador típico dos hatchbacks. Ainda assim, a intenção é colocar o HB20S no lado oposto da racionalidade representada por modelos como Logan, Grand Siena e Cobalt, para transformá-lo no primeiro sedã compacto com visual jovem, “para aquele que não quer ser visto como velho”, afirma Stopa.

A Hyundai também aposta que está certa com base nas clínicas que fez antes do lançamento, quando mostrou a clientes potenciais o seu sedã ao lado dos principais concorrentes. Segundo a empresa, o HB20S recebeu nada menos que 40% das preferências, contra 22% do Fiat Grand Siena, 18% do Ford New Fiesta Sedan, 15% do Chevrolet Cobalt e 5% do Volkswagen Voyage.

QUALIDADES

Hyundai
O porta-malas é a parte mais racional do HB20S, com capacidade para 450 litros de bagagem. O interior é igual ao irmão hatchback.

De fato, o HB20S tem linhas mais modernas do que os concorrentes. Chama a atenção a silhueta alongada da lateral, baseada no bem-sucedido conceito de “escultura fluída” que vem regendo as mãos dos designers da Hyundai nos últimos anos. “Na família HB fizemos um desenho icônico desenvolvido especialmente para o mercado brasileiro, mas foram mantidos integralmente os códigos da identidade visual internacional da marca, que transmite esportividade com estabilidade”, resumiu o gerente de projeto Casey Hyun.

A identidade Hyundai está na grade frontal hexagonal ligada aos faróis, que “conversam” na mesma linha com as lanternas traseiras. No interior, o sedã manteve a mesma aparência e qualidades do irmão hatch, com painel envolvente e posição de dirigir confortável. A parte mais racional fica por conta do espaçoso porta-malas, com capacidade para 450 litros de bagagens.

Dirigindo a versão 1.0 mais cara do HB20S, o carro se mostrou bastante acertado, com suspensão um pouco dura, ainda que adequada para o indigente piso brasileiro. O motor de 80 cavalos é bastante eficiente, perde um pouco de fôlego nas subidas, mas é suficiente para a maioria das situações, com acelerações e retomadas seguras. No programa de etiquetagem do Inmetro, o modelo foi classificado com letra A (a melhor possível), com consumo urbano medido de 7,8 km/l com etanol e 11,5 km/l com gasolina. Na mesma classificação o HB20S 1.6 ficou com nota B, fazendo na cidade 7,8 km/l com etanol e 11,1 km/l com gasolina.

Parte da explicação para o bom desempenho do HB20S está em sua leveza. Ele é cerca de 10 kg mais “magro” do que os concorrente. Faz diferença o motor com bloco e cabeçote de alumínio, além do aço produzido pelo próprio Grupo Hyundai na Coreia, mais fino e mais leve, porém com a mesma resistência, segundo explica Stopa.

PERSPECTIVAS

O HB20S entra em um mercado que no Brasil, em 2012, consumiu 580 mil sedãs pequenos, que representam 24% das vendas do chamado segmento B, que integra os veículos compactos, os mais vendidos no País. A estimativa da Hyundai é produzir este ano na fábrica de Piracicaba (SP) 40 mil HB20S, além de 100 mil HB20 e outros 10 mil HB20X. A expectativa é vender tudo dentro do mesmo ano. Stopa avalia que o mix de vendas do sedã será o mesmo do hatch: 60% de versões 1.6 e 40% do 1.0.

O gerente de projeto Casey Hyun lembra que o desenvolvimento da família HB começou em 2009. O HB20S completa o plano inicial da Hyundai de produzir no Brasil três modelos especialmente desenvolvidos para o mercado local. “Terminamos agora esse ciclo, mas não é o fim, é o começo de uma história que começamos a construir no País”, diz Hyun, confirmando que o fabricante coreano já planeja os próximos passos a dar por aqui. Depois do sucesso inicial, cresce a responsabilidade em apresentar algo novo.

Confira todos os preços do Hyunday HB20S:

Confort Plus 1.0 – R$ 39.495
Confort Style 1.0 – R$ 42.675
Confort Plus 1.6 – R$ 44.995
Confort Style 1.6 – R$ 48.175
Confort Style 1.6 Automático – R$ 51.375
Premium 1.6 – R$ 50.795
Premium 1.6 Automático – R$ 53.995
Pintura metálica – +R$ 1.070
Pintura perolizada – +R$ 1.270



Tags: Hyundai, HB20S, sedã, mercado, lançamento.

Comentários

  • Edirlan

    Quantos km o hyundai hb20s 1.0 faz por litro e quanto custa?

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência