NOTÍCIAS
20/04/2017 | 18h00

Lançamentos

Fiat revela nome do X6H: é o Argo

Montadora fez o carro circular camuflado em ruas de São Paulo


PEDRO KUTNEY, AB

O Fiat Argo circulou camuflado por São Paulo para esquentar o lançamento em maio
Em uma ação de marketing para esquentar seu principal lançamento este ano, a Fiat divulgou em seu site na manhã da quinta-feira, 20, o nome do hatch até agora conhecido somente pelo código do projeto, X6H. O carro vai se chamar Argo, já entrou em produção em Betim (MG) e deve chegar às concessionárias da marca no fim de maio. Para aumentar o “barulho” em torno da novidade, a Fiat também colocou alguns modelos camuflados, com a inscrição #DescubraArgo, para rodar por algumas das principais ruas e avenidas de São Paulo – não sem antes avisar os fotógrafos de revistas e sites especializados, para garantir o registro, centenas de linhas de reportagens e cliques nas redes sociais.

O Argo é o que se pode chamar de três em um; de uma só tacada, deve substituir três hatches da Fiat: Bravo (que já parou de ser fabricado), Punto e Palio. O novo hatch é derivado da plataforma do Tipo europeu, que por sua vez é a mesma do Jeep Renegade – hoje tudo junto e misturado no Grupo Fiat Chrysler Automobiles, a FCA. Portanto, em tese, o Argo deverá ser mais espaçoso que Palio e um pouco mais que o Punto, para ficar inserido em na faixa de mercado acima dos outros dois hatches de entrada da Fiat, Mobi e Uno, e dessa forma alinhar melhor o portfólio da marca à atual realidade de mercado.

Segundo especulações da imprensa especializada, os preços do Argo deverão ir de R$ 45 mil a R$ 60 mil, variando de acordo com a ampla gama de motorização da Fiat disponível no Brasil: os Firefly três-cilindros 1.0 de 77 cavalos e o quatro-cilindros 1.4 de 109 cv já usados por Mobi e Uno, ambos com opção de transmissão manual ou automatizada Dualogic; além do 1.8 E.TorQ Evo de 139 cv, com câmbio manual ou automático de seis marchas, que também equipava o Punto e está no Jeep Renegade. Conforme o site criado para revelar o nome do modelo, a intenção é vender o Argo como um "hatch premium".


Página do site da Fiat que anuncia o nome do novo hatch Argo (veja aqui)

MISSÃO DIFÍCIL

A missão do Argo é difícil, pois chega no momento em que o segmento de hatches está encolhendo, não só por causa da queda geral das vendas, mas também com migração de consumidores para os SUVs. Ainda assim, o desempenho do modelo deve ser melhor do que os carros que vem substituir. Sem receber renovações importantes desde 2012, Palio e Punto cederam espaço a concorrentes mais modernos e vêm contribuindo para o mergulho das vendas e perda massiva de participação da Fiat no mercado brasileiro, principalmente nos últimos dois anos. No acumulado do primeiro trimestre, a marca conseguiu market share de apenas 13,6% (tinha mais de 20% até 2014), e ainda assim só por causa do bom desempenho de seus comerciais leves Strada e Toro – sem os dois a participação cai para 9,3%, na sexta posição entre as marcas mais vendidas de automóveis.

A mesma plataforma do Argo será usada para refrescar outro segmento do portfólio da Fiat. O projeto conhecido como X6S dará origem a um novo sedã que será fabricado na Argentina ainda este ano e deve chegar ao Brasil no começo de 2018, para substituir o já enterrado Linea e o Grand Siena.

Comentários: 3
 

Carlos Gutemberg
23/04/2017 | 18h19
O último tópico define bem a difícil missão que o Argo tem. Precisa oferecer mais que a concorrência a um preço justo. Temerária é a insistência da FCA com o câmbio dualogic quando as outras montadoras oferecem automático de fato, como indicado em diversos sites para a opção 1.3. Apenas pra lembrar que a má fama desse sistema (sem o mérito de ser bom ou não) foi responsável pelas fracas vendas do Bravo (excelente carro), Línea, Punto e outros da marca quando seus concorrentes eram equipados com câmbio automático de 4 e 6 marchas! Boa sorte a FIAT!

Roberto
01/05/2017 | 00h53
A Fiat não tinha um nome melhor não? Já existem inúmeras gozações em cima deste nome na internet.... Alguma coisa realmente não vai bem na montadora, pois perder market share tão bruscamente em tão pouco tempo não é normal... Será que a tal venda do grupo FCA para a china explica tudo isso? Se isto se consumar, o que será da marca FIAT? Vai ser extinta para ficar apenas as americanas?

Maria Izabel.
09/05/2017 | 11h28
A Fiat sempre teve bom gosto para escolha de nomes e modelos, mas realmente este nome Argo.....não tem muita graça ou é um nome interessante. Para substituir o Palio, um carro, que sempre foi bem forte no mercado, o nome deste novo carro poderia ter sido melhor escolhido. Mas vamos ver mesmo quando o carro já estiver um produção. eu acredito que o nome não tem influência na marca, quem gosta da marca Fiat vai continuar gostando do mesmo jeito. Mesmo porque agora é FCA. Uma coisa que realmente pode influenciar é o preço e o que o carro oferece.

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.