Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Mercedes mira o topo das marcas premium

Mercado | 12/07/2018 | 18h45

Mercedes mira o topo das marcas premium

Montadora liderou segmento de luxo no 1º semestre e deve terminar 2018 com 13,5 mil automóveis

MÁRIO CURCIO, AB

A Mercedes pretende vender até o fim do ano no Brasil cerca de 13,5 mil carros e manter-se na liderança em um mercado de luxo disputado por três marcas alemãs, a própria Mercedes, a BMW e a Audi, todas com produtos importados e nacionais. Até a primeira metade do ano, a estrela de três pontas emplacou pouco mais de 6 mil automóveis, registrando alta de 8,6% sobre o mesmo período do ano passado.

“Esperamos manter esse crescimento até o fim do ano, a liderança e também nossa fatia atual, que é de 38,8% entre as três marcas”, afirma o gerente sênior de vendas, Dirlei Dias.



A Mercedes prepara novidades para o segundo semestre e para o Salão do Automóvel, que ocorrerá de 8 a 18 de novembro no São Paulo Expo. “Serão mais de dez lançamentos até o fim do ano entre novos modelos e versões”, afirma Dias.

Ele informa que em anos de Salão do Automóvel ocorre um represamento das vendas em outubro, compensado com um importante aumento dos negócios de novembro até a primeira metade de dezembro. Mas o evento não será a única forma de conquistar consumidores.

“Nosso volume cresce com portfólio novo, serviços e programas de financiamento”, diz o executivo. Atualmente, a forma de parcelamento mais utilizada pelo Banco Mercedes inclui entrada de 20%, saldo entre 24 e 36 meses e taxa de 0,79%. “É um modelo de financiamento bastante empregado para os Mercedes A, GLA, C, CLA e B, que respondem por 80% de nossas vendas”, recorda Dias.

DESEMPENHO DOS CONCORRENTES MAIS DIRETOS


No primeiro semestre, Mercedes, BMW e Audi venderam juntas 15,5 mil automóveis, registando alta de 7,9% sobre igual período de 2017. Embora ocupe o segundo lugar, foi a BMW que teve o maior crescimento no período, saltando de 4,3 mil para 5,3 mil unidades (alta de 25%).

A Audi foi a única das três com queda. Baixou dos 4,6 mil automóveis na primeira metade de 2017 para 4,2 mil neste ano. Recuou 9% e caiu do segundo para o terceiro lugar. “Analisamos mais de perto essas duas marcas por terem produtos semelhantes, mas também olhamos um grupo formado por 20 marcas. Nessas ‘top 20’ houve crescimento de 12% sobre o primeiro semestre do ano passado”, conclui o gerente de vendas.



Tags: Mercedes, Mercedes-Benz, BMW, Audi, Dirlei Dias, Salão do Automóvel, financiamento.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência