Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Mercedes-Benz lança pacote de segurança ativa para ônibus
Com ACC, ônibus controla automaticamente velocidade e distância em relação ao carro à frente

Transportes | 13/07/2018 | 19h11

Mercedes-Benz lança pacote de segurança ativa para ônibus

Controle adaptativo de velocidade (ACC) com frenagem automática será oferecido em modelos rodoviários

PEDRO KUTNEY, AB

A Mercedes-Benz vai oferecer no mercado brasileiro um pacote de segurança ativa para ônibus rodoviários O 500 R e RSD com câmbio automatizado, que inclui controle adaptativo de velocidade e distância, o ACC, também conhecido como piloto automático adaptativo, conjugado com o sistema de frenagem automática de emergência (AEBS). Os primeiros veículos equipados com a tecnologia serão entregues neste semestre à Viação Águia Branca, que opera linhas regulares de passageiros nos estados do Sudeste e Nordeste.

O sistema modular também se integra com o alerta de derivação de faixa de rodagem, o LDWS, que monitora com câmeras a pista e avisa ao motorista quando o veículo sai da faixa sem que a seta seja acionada. Segundo a fabricante, o pacote ACC+AEBS+LDWS será oferecido como opcional em toda a linha O 500 de rodoviários, já está pronto para uso nos modelos 4x2 e 6x2 e, em breve, estará disponível também no 8x2.

O preço gira em torno de 3% a 8% do valor do veículo. Walter Barbosa, diretor de vendas e marketing de ônibus da Mercedes-Benz do Brasil, avalia que o valor não será impeditivo para a disseminação da tecnologia no País, pois muitos frotistas enxergam o aumento da segurança como responsabilidade social e economia com redução de acidentes.

“O piloto automático adaptativo reduz o risco de acidentes, trazendo mais segurança para passageiros, motoristas e outros veículos da via. Muitos frotistas estão cada vez mais preocupados com isso e assimilam a elevação de custo como benefício”, avalia Barbosa.



O ACC da Mercedes funciona com 15 sensores instalados na dianteira do ônibus, que como um radar monitoram a pista de 0 a até 200 metros à frente. A partir das informações desse monitoramento, uma vez acionado o ACC, o ônibus acelera e freia sem interferência do motorista, mantendo constante a velocidade previamente ajustada e reduzindo sempre que é detectado outro veículo dentro de uma zona de distância à frente, que pode ser pré-ajustada em sete níveis. O sistema é indicado para uso rodoviário, só funciona acima de 15 km/h e conjugado com transmissão automatizada. A versão de ACC adequada para modelos urbanos, capaz de fazer o veículo parar totalmente e acompanhar o fluxo no para-e-anda do trânsito, ainda não está disponível.

Quando algum outro veículo cruza a frente de forma abrupta, entra em ação o AEBS, o sistema de frenagem automática de emergência, que dependendo da distância funciona em três estágios: no primeiro é emitido um alerta sonoro, no segundo o alerta aumenta o volume e começa a ser executada a frenagem parcial, e por fim 100% da força dos freios é acionada até a parada total para evitar a possível colisão.

“ACC e AEBS reduzem bastante o risco de acidentes, porque o motorista não precisa se preocupar com acelerações ou frenagens e isso aumenta sua atenção ao que acontece na estrada à frente” destaca Barbosa. “O sistema ganha ainda mais valor em situações de baixa visibilidade, como neblina, chuva intensa ou à noite”, acrescenta.

SISTEMAS DE SEGURANÇA NA ROTA DA DIREÇÃO AUTÔNOMA


Piloto automático adaptativo, frenagem automática de emergência e alerta de derivação de faixa são integrantes dos chamados sistemas avançados de assistência ao motorista. A adoção conjugada desses e de outros módulos eletrônicos, atuadores e sensores pavimenta a rota da direção autônoma, sem necessidade da interferência do motorista.

A Mercedes-Benz já testa a tecnologia em trajeto controlado com seu protótipo Future Bus em Amsterdã, na Holanda. No Brasil, a introdução de sistemas autônomos de condução e segurança veicular deverá ser incentivada nos próximos por incentivos fiscais previstos no Rota 2030, programa setorial de desenvolvimento recém-aprovado pelo governo (leia aqui).

Com a introdução do ACC e AEBS, os ônibus da linha O 500 da Mercedes-Benz passam a oferecer o total de 14 sistemas que aumentam a segurança e reduzem o risco de acidentes:

• ACC (Active Cruise Control) – piloto automático adaptativo
• AEBS (Advanced Emergency Braking System) – sistema de frenagem automática de emergência
• LDWS (Lane Departure Warning System) – sistema de alerta de faixa
• TPMS (Tyre Pressure Monitoring System) – monitoramento da pressão e temperatura dos pneus
• Retarder – sistema auxiliar de freio
• Top-Brake – freio-motor auxiliar
• Suspensão com sistema anti-tombamento
• ABS – sistema anti-travamento de freios
• ASR – sistema de controle de tração
• EBS – sistema eletrônico de freios
• ECAS – suspensão pneumática controlada eletronicamente
• ESP – controle eletrônico de estabilidade
• Eixo ERA direcional: maior estabilidade



Tags: Mercedes-Benz, ônibus rodoviário, segurança, ACC controle adaptativo de velocidade, piloto automático adaptativo, frenagem automática de emergência AEBS.

Comentários

  • SandroAntonio

    Olá. Seriainteressante perguntar à Mercedes-Benz se há alguma iniciativa junto às seguradoras com o objetivo de reduzir os prêmios de seguros de veículos equipados com sistemas AEBS. Em vários países europeus e também em outros como o Canadá e Austrália as seguradoras praticam prêmios menores para veículos com tais sistemas. Isto não acontece no Brasil, mesmo no caso de seguradoras que já dão descontos em outros países. Os fabricantes de automóveis e de veículos pesados deveriam, penso eu, atuar em relação a isto junto às seguradoras, até mesmo para criar ainda mais valor ao recurso oferecido.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência