Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
AEA prevê evolução tecnológica com o programa Rota 2030

Indústria | 05/12/2018 | 19h00

AEA prevê evolução tecnológica com o programa Rota 2030

Nova política industrial traz oportunidades à indústria local e ao meio acadêmico

MÁRIO CURCIO, AB

A Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA) trouxe à tona na quarta-feira, 5, questões relacionadas ao Rota 2030 que abrem oportunidades tanto à indústria local como ao meio acadêmico em pesquisa e desenvolvimento. Com isso, a entidade acredita na evolução tecnológica da indústria local com o novo programa de governo.

Um bom exemplo é o caso do regime tributário dos ex-tarifários, para importação de componentes não produzidos no Brasil e que beneficia sobretudo as montadoras de baixo volume, com capacidade instalada para até 35 mil carros por ano e alto índice de conteúdo importado.

Nesse caso, o decreto 9.557 impõe a isenção de pagamento de imposto de importação de 2% sobre peças importadas sem produção nacional, desde que esse valor seja investido em projetos de pesquisa, desenvolvimento, inovação e em programas prioritários de apoio ao desenvolvimento industrial e tecnológico, com o objetivo de se produzir esses componentes no Brasil.

“De janeiro a outubro de 2018 as importações de autopeças totalizaram US$ 11,8 bilhões”, recorda o vice-presidente da AEA, Marcos Clemente.



Ou seja, o porcentual é baixo, mas incide sobre um valor elevado. Esse investimento vai ocorrer por intermédio de parcerias com universidades e centros tecnológicos. Temos aqui uma grande oportunidade para o meio acadêmico”, ressalta o representante da entidade.

No que se refere à eficiência energética, Clemente recorda também que dentro do Rota 2030 as montadoras poderão melhorar os carros com soluções que ajudem a reduzir o consumo não só em medições padrão, mas em situações cotidianas, fora dos ciclos tradicionais de medição, pela utilização de equipamentos de ar-condicionado mais eficientes, lâmpadas de LEDs e soluções aerodinâmicas, por exemplo. “Há todo um cardápio de opções para as montadoras.”

O programa também vai movimentar a indústria pela aplicação de novos recursos para aumento da proteção de ocupantes, pedestres, adoção de sistemas de segurança como frenagem automática de emergência e aviso de afastamento da faixa de rodagem.

A AEA também discute a identificação de oportunidades e ganhos com a aplicação dos conceitos da indústria 4.0 na cadeia produtiva.



Tags: AEA, Rota 2030, ex-tarifários, governo, Marcos Clemente, indústria 4.0.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência