Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Grupo BMW é o maior fabricante premium, Mercedes é a marca mais vendida

Mercado | 11/01/2019 | 19h45

Grupo BMW é o maior fabricante premium, Mercedes é a marca mais vendida

Em 2018 as duas alemãs cresceram pouco, mas conseguiram quebrar recordes de vendas

REDAÇÃO AB

Com as marcas BMW, Mini e Rolls-Royce, o Grupo BMW conseguiu em 2018 se manter como maior fabricante global de veículos premium, enquanto a Mercedes-Benz continuou sendo a marca de carros de luxo mais vendida do mundo. Ambas também conseguiram quebrar o próprio recorde histórico de vendas de um ano antes, por muito pouco, com crescimento bem modesto. A também alemã Audi manteve o terceiro posto, mas teve a primeira queda após oito anos de crescimento. No mercado brasileiro o cenário se repetiu, com as três marcas alemãs no topo do ranking premium.

As vendas de automóveis do Grupo BMW somaram 2,49 milhões de unidades, em leva alta de 1,1% sobre 2017. O novo recorde global foi conseguido graças ao bom desempenho na China (+7,7%) e América Latina (+8,1%), que compensaram o mercado estagnado na Europa (-0,3%). Individualmente, foram vendidos 2,12 milhões de carros BMW no mundo, também com modesto crescimento de 1,8%, puxado pelos modelos da linha X e pelo novo Série 5. O grupo vendeu ainda 361,5 mil Mini, em queda de 2,8%, e 4,1 mil Rolls-Royce, atingindo robusta expansão de 22,2%. Este ano a empresa espera repetir a performance, projetando avanço em torno de 0,5% sobre 2018.

A BMW destacou o desempenho de seus veículos eletrificados, BMW e Mini elétricos e híbridos, que somaram 142,6 mil unidades vendidas em 2018, o que representou forte crescimento de 38,4%. A empresa estima que até o fim de 2019 haverá cerca de meio milhão de carros eletrificados de ambas as marcas rodando em todo o mundo. Até 2025 o grupo planeja ter em sua linha 13 modelos híbridos e 12 elétricos.

Com 2,31 milhões de carros vendidos no mundo em 2018, a Mercedes-Benz confirmou pelo terceiro ano seguido a liderança entre as marcas do segmento premium global e bateu pela oitava vez consecutiva vez seu recorde anual de vendas, mas desta vez com tímida expansão de 0,9% sobre 2017. A divisão de automóveis do Grupo Daimler atribui o bom resultado ao crescimento na China. Segundo a empresa, os Mercedes lideraram os mercados de veículos de luxo de países como Alemanha, França, Rússia, Suíça, Polônia, Portugal, Turquia, Dinamarca, Hungria, Romênia, Coreia do Sul, Japão, Austrália, Tailândia, Índia, Malásia, Vietnã, Cingapura, Estados Unidos, Canadá, Argentina e o Brasil.

Em 2018 a Audi interrompeu um ciclo de crescimento que até 2017 durou oito anos seguidos. Com 1,81 milhão de unidades entregues no mundo, a marca de automóveis premium de maior volume do Grupo VW fechou o ano com queda nas vendas de 3,5%. O tombo só não foi maior por causa do desempenho recorde na China, onde a Audi cresceu 10,9%, o que compensou parcialmente as retrações de 13,6% na Europa e 1,4% nos Estados Unidos. A empresa afirma que o resultado foi afetado por muitas introduções de novos modelos, incertezas políticas e econômicas e a mudança no ciclo de testes de emissões na Europa.

BRASIL



O ainda pequeno mercado brasileiro de veículos de luxo repetiu em 2018 o ranking global, com as três marcas alemãs no topo. A Mercedes-Benz emplacou 12.131 carros no Brasil no ano passado, ficou em primeiro lugar do segmento pela segunda vez seguida, mas o volume representou leve retração de 2,7% em relação a 2017. O Classe C montado em Iracemápolis (SP) foi o modelo premium mais vendido do País e da marca, com 5,1 mil unidades emplacadas. Em seguida, o SUV compacto GLA, também produzido no interior paulista, contribuiu com significativas 2,96 mil vendas.

Foram vendidos no ano passado 11.375 modelos BMW, com Série 3 e X1 montados em Araquari (SC) na dianteira. Com isso, a marca continuou em segundo no ranking premium que já liderou por vários anos, mas foi a única das três primeiras que contabilizou desempenho positivo das vendas, que cresceram 11,8% sobre 2017.

Já a Audi foi a que mais perdeu das três líderes: vendeu 8.677 carros no Brasil em 2018, em retração de 12,5% sobre o ano anterior. Os dois modelos mais vendidos da marca continuam sendo o A3 Sedan e Q3 montados em São José dos Pinhais (PR), em linha dividida na fábrica da Volkswagen. Após alguns anos de forte crescimento no mercado brasileiro baseado em política comercial agressiva, a Audi reestruturou a operação em busca de lucro.



Tags: Grupo BWM, Mini, Rolls-Royce, Mercedes-Benz, Audi, balanço de vendas 2018, mercado global.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência