Acea quer fim de barreiras para veículos no Japão

Pedido das montadoras europeias será avaliado durante negociações do acordo de livre comércio

Por REDAÇÃO AB
  • 26/03/2013 - 15:57
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura
    A associação que reúne as fabricantes de veículos na Europa, a Acea, quer o fim das barreiras não-tarifárias para o setor automobilístico no acordo de livre comércio que está em discussão entre a União Europeia e o Japão, cujas negociações foram anunciadas na segunda-feira, 26.

    “Somos totalmente a favor do tratado de livre comércio equilibrado, que oferece oportunidade real para a exportação. No entanto, ainda temos algumas reservas sobre um tratado de livre comércio com o Japão: nossa indústria pede que um veículo homologado na União Europeia possa ser vendido no Japão sem a necessidade de qualquer outra certificação ou alteração dispendiosa. Este não é o caso hoje”, afirmou o secretário geral da Acea, Ivan Hadoc, em nota.

    Atualmente, o Japão mantém exigências para a entrada de veículos cuja origem é de países da União Europeia, que geram custos adicionais na modificação dos veículos, e por consequências, nas exportações. A entidade atesta que os carros europeus estão entre os mais seguros e menos poluentes do mundo e que são adequados ao consumidor japonês, assim como são adequados ao consumidor europeu.

    Por sua vez, a associação foi convocada pelo Japão para rever os privilégios fiscais que gozam os minicarros de origem japonesa, de forma que possam competir em igualdade com os sub compactos europeus.

    A Acea sugeriu à comissão a definição de metas no primeiro ano de negociações, para garantir que o Japão cumpra os compromissos de eliminação das barreiras não tarifárias ao setor automotivo.

    A entidade que reúne as fabricantes de veículos no Japão (Jama) declarou em nota “apoiar os esforços necessários por parte de seu governo para chegar a uma rápida conclusão das negociações sobre o acordo de livre comércio”.