Antes de comprar carro, 93,8% dos internautas brasileiros pesquisam on-line

Conclusão é de estudo do MercadoLivre

Por Automotive Business
  • 17/08/2011 - 15:51
  • | Atualizado há 2 months
  • 2 minutos de leitura

    <style type="text/css"> .texto { font-family: Verdana, Geneva, sans-serif; font-size: 10px; color: #666; } .texto { text-align: left; } </style>

    NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
    EmailRSSTwitterWebTVRevistaMobileRede Social


    Redação AB

    Pesquisa encomendada pelo MercadoLivre e realizada pela Oh! Panel apurou a importância da internet para a compra e venda de carros. O estudo aponta que 93,8% dos internautas brasileiros pesquisam on-line sobre modelos e 97,7% deles utilizam a rede para comparar preços.

    Das mais de 1 mil pessoas entrevistas, 88,7% afirmaram que a internet também é importante para buscar concessionárias e decidir onde comprar. Já entre outros consumidores latino-americanos ouvidos pela pesquisa, da Argentina, Chile, Colômbia, Equador, México, Peru, Uruguai e Venezuela, o índice é de 67,6%.

    Sobre o perfil do cliente brasileiro, o levantamento apurou que 44,4% das pessoas compraram o primeiro automóvel até os 21 anos. Já a média dos países da região foi de 35,5%. O levantamento evidenciou ainda o aquecimento das vendas de veículos on-line. Segundo o estudo, 64% dos internautas que anunciaram automóveis nas plataforma MercadoLivre venderam o veículo em até duas semanas.

    Marca dos sonhos

    Os consumidores brasileiros apontam que os fatores que mais pesam para que uma marca seja considerada sonho de consumo são o design dos modelos (40,5%), a história da marca (29,5%) e o grau de inovação dos veículos (23,2%).

    Na hora de escolher a marca-desejo, os participantes da pesquisa não pensaram apenas em carros luxuosos e esportivos e escolheram uma marca acessível ao mercado brasileiro: a Chevrolet, que foi destacada por 11,6% dos entrevistados. Em seguida está a importadora de carros premium BMW, com 11,1% dos votos e logo atrás vem a Fiat, com 8,7% de preferência.