Brasil precisa olhar além do motor a combustão

Para consultora, País deve desenhar estratégia para elétricos

Por REDAÇÃO AB
  • 07/03/2017 - 19:02
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura
    Conteúdo apresentado por VIII Fórum da Indústria Automobilística

    A indústria automotiva brasileira precisa trabalhar no desenvolvimento e na produção de outros tipos de motores, além dos tradicionais propulsores a combustão. Esta é a opinião de Letícia Costa, da Prada Assessoria. “Em horizonte não muito distante os carros elétricos e híbridos vão passar a ter um papel maior no cenário global. Se não trabalharmos para acompanhar este movimento, teremos uma oferta de produtos defasada”, aponta.

    Leia também:
    - Retomada do mercado começa em 2017, mas se estende até 2020
    - Setor de autopeças precisa exportar, mas não é fácil virar a chave

    A especialista defende que o Brasil precisa se posicionar em relação aos veículos movidos a novas fontes de energia, já que atualmente não está clara a visão e os objetivos do País para o assunto. “Focamos muito no propulsor a combustão. Precisamos trabalhar o nosso papel nesse outro mercado”, defende.

    EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NÃO PODE DEPENDER DE INCENTIVO

    Letícia é bastante crítica em relação ao Inovar-Auto, regime automotivo que termina no fim de 2017 e, segundo ela, foi pouco eficiente para tornar a indústria local mais competitiva. Na análise da consultora, as metas de eficiência energética foram as medidas mais relevantes do programa. Letícia lembra, no entanto, que é desnecessário desenhar um regime automotivo completo para estabelecer limites de consumo e de emissões de poluentes para os carros.

    “Em todos os países, melhorar a eficiência energética não exige a criação de um Inovar-Auto. Questões ambientais e de segurança devem depender apenas da legislação para acontecer”, diz. Para ela, o esforço da indústria local para evoluir não deve estar atrelado a nenhum incentivo - ao contrário do que acontece hoje com o Inovar-Auto. “As empresas precisam cumprir as exigências por causa da lei, não por benefícios.” Pelo programa atual, as montadoras devem atender a uma série de exigências, incluindo as metas de eficiência energética, para ganhar desconto no IPI.

    O Inovar-Auto está entre os assuntos que serão abordados por Letícia Costa durante o VIII Fórum da Indústria Automobilística, principal evento de negócios do setor, que acontece em São Paulo (SP) no dia 17 de abril. O encontro trará debates sobre a cadeia produtiva, compras das montadoras, mercado, caminhões, entre outros temas de alta relevância. Além de conteúdo, o Fórum traz feira tecnológica e rodada de negócios com montadoras, sistemistas e a cadeia produtiva. Mais de 800 profissionais do setor automotivo já se inscreveram. Veja aqui a programação completa e garanta a sua participação.