Caoa Chery bate recorde e supera 1,5 mil carros em agosto

Chery contratou 190 funcionários desde abril e pode admitir mais 200 até o fim do ano

Por MÁRIO CURCIO, AB
  • 31/08/2018 - 20:44
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura
    A fábrica da Caoa Chery em Jacareí (SP) alcançou seu recorde para um único mês com a produção de mais de 1,5 mil carros na soma do utilitário esportivo Tiggo 2 e do hatch QQ. Até o fim do ano, a unidade terá montado mais de 10 mil carros.

    “Houve uma aceleração em agosto porque em setembro começa a preparação para colocarmos em linha o sedã Arrizo, que deve chegar ao mercado em novembro”, afirma o CEO da Caoa Chery, Márcio Alfonso.

    Para 2019 o executivo estima entre 24 mil e 25 mil unidades. A capacidade instalada é de 50 mil carros. Como consequência do aumento da produção e da chegada de novos modelos, a Chery pretende adicionar 50 novos fornecedores à lista atual, que tem 44. Com isso os itens produzidos localmente passarão de cerca de 40 para 400.

    “Já há fornecedores locais desenvolvendo plásticos, painéis moldados, para-choques, forrações, sistema elétrico, freios. As peças derivadas de petróleo estão com preço competitivo no Brasil”, diz Alfonso.



    O programa de nacionalização seria uma consequência natural do aumento da produção e chegada de novos modelos, mas foi acelerado por seguidas altas do dólar. A maioria dos fornecedores está no Sudeste.

    A fábrica da Chery em Jacareí foi inaugurada formalmente em agosto de 2014, mas só começou a produzir para valer em fevereiro de 2015. E o Celer, modelo inaugural, saiu de linha há alguns meses. A sociedade com a Caoa anunciada no fim do segundo semestre de 2017 deixa para trás as páginas cinzentas da montadora chinesa, que enfrentou algumas greves, uma recessão profunda e o consequente encolhimento de sua rede de revendas.

    “Eram 25 concessionárias no fim do ano passado. Hoje são 47. Até o fim de 2018 serão 60 e queremos abrir mais 30 em 2019”, afirma o CEO da Caoa Chery.

    PRODUÇÃO TAMBÉM EM GOIÁS


    A montagem do interior de São Paulo ocorre em um turno e é dedicada ao Tiggo 2 e ao QQ (produzidos na mesma linha). Em algumas semanas Jacareí estará produzindo em uma segunda linha o Arrizo, sedã pouco menor que o Corolla. “Desde abril contratamos 190 funcionários. Pretendemos admitir mais 180 ou 200 até o fim do ano”, diz o CEO da Caoa Chery. O número total de funcionários estaria em 570.

    Até o fim de 2018 a empresa pretende iniciar em Anápolis (GO) a produção do Tiggo 4. Será o primeiro Chery feito em Goiás, em uma planta erguida para nacionalizar veículos Hyundai. A planta monta atualmente os caminhões HR e HD 80 e os utilitários esportivos iX35 e New Tucson.

    A fábrica está produzindo em apenas quatro dias da semana, fazendo cerca de 2 mil veículos por mês, e por isso Alfonso não soube informar se haverá contratações com a chegada do Tiggo 4. Para 2019 está previsto o início da produção também em Anápolis do Tiggo 7, concebido sobre a mesma plataforma do Tiggo 4.