CNH Industrial volta a premiar fornecedores

Tenneco é a grande vencedora da edição 2018 do novo Suppliers Excellence Awards

Por SUELI REIS, AB | De Belo Horizonte (MG)
  • 20/06/2018 - 17:23
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • 4 minutos de leitura
    Aproximação e parceria: estas foram as duas principais mensagens que marcaram a estreia do prêmio de fornecedores da CNH Industrial, o primeiro desde a fusão das empresas de bens de capital do então Grupo Fiat, em 2013, quando foram separadas as divisões de automóveis, hoje FCA (Fiat Chrysler Automobiles), e a de bens de capital, que reúne veículos comerciais, máquinas e motores, o que deu origem ao novo conglomerado CNH Industrial, que reúne as marcas de caminhões, ônibus e veículos especiais de defesa Iveco, as máquinas agrícolas e de construção Case e New Holland, a fabricante de motores FPT, e a fornecedora de veículos especiais Magirus, entre outras que atuam em diversas regiões do mundo.

    Em cerimônia realizada na noite de terça-feira, 19, em Belo Horizonte (MG), a companhia reuniu os representantes de seus melhores fornecedores ranqueados a partir da avaliação do desempenho apresentado ao longo de 2017. Uma equipe formada por 200 profissionais, a maioria da área de compras, elegeu 249 empresas, considerando os fornecedores de todas as dez fábricas que o grupo mantém na América Latina e cujo faturamento superou a cifra de R$ 1 milhão no ano passado. Os elegíveis representam 18% do total dos mais de 1,4 mil fornecedores e juntos somam faturamento total de R$ 3,7 bilhões.

    O diretor de compras da CNH Industrial para a América Latina, Carlo Martorano, destacou a importância da realização do novo prêmio como forma de estreitar a relação da empresa com seus parceiros. Ele lembrou das principais frentes que a companhia trabalha com o objetivo de elevar a competitividade e driblar, como ele mesmo citou, as inúmeras dificuldades do cenário econômico e político no Brasil. Também convidou os presentes a desafiarem seus próprios limites e se dispôs, como empresa, a colaborar para a efetivação de resultados cada vez melhores com inovação não só em produtos, mas em processos e novos modelos de negócio.

    “Esse trabalho de excelência só será possível coma a participação de cada um. Só com a parceria de vocês podemos melhorar em todos os aspectos”, instiga. Martorano lembra o potencial da área de compras para a estratégia de ambos os lados: “Compras é ir além de negociar, é trazer novos projetos e parcerias com qualidade e competitividade. Globalmente, a CNHi tem um poder de compra equivalente a R$ 50 bilhões, o que equivale ao PIB de alguns países da América Latina, por exemplo. Aqui na região, nossas compras devem somar R$ 4,5 bilhões em 2018, com a possibilidade de mais R$ 1 bilhão adicional com potencialidade de localização [de componentes]”, revela.

    O presidente do Grupo CNH Industrial para a América Latina, Vilmar Fistarol, fez um balanço da situação geral na América Latina: o Brasil vê certa recuperação no segmento de veículos comerciais pesados, especialmente caminhões e ônibus, o que reflete um PIB pouco melhor este ano, cujo crescimento é previsto para algo em torno de 2,2% sobre 2017; já o segmento de máquinas ainda patina, também reflexo do outro lado da moeda, de um País que ainda tem muita dificuldade em investir.

    “Embora o cenário macroeconômico não seja assim tão ruim, sabemos que os problemas políticos mantém aquele ‘pé atrás’ nos investimentos. Eu estou há 30 anos na indústria automotiva acompanhando todos os altos e baixos. Tem de tudo neste País, mas o que não se pode deixar é que essa volatilidade influencie na entrega do nosso melhor. Vamos juntos construir um alto nível de colaboração para enfrentar os gargalos produtivos que sabemos que virão, de maneira preventiva em todas as áreas que podemos atuar e trabalhar juntos”, disse Fistarol.



    A avaliação do executivo sobre a Argentina mostra um país que até poucas semanas atrás parecia ter tudo sob controle, mas o cenário mudou. A elevação dos juros acima dos 40% diminui as chances de um PIB interno robusto como era previsto anteriormente. “Teríamos um PIB argentino melhor que o do Brasil, mas isso já mudou”, aponta Fistarol. Por lá, o crescimento da economia não deve passar dos 2%, segundo as previsões atuais.

    Por outro lado, mercados como os do Chile, Colômbia e Peru apresentam crescimento médio de 3,1% para este ano.

    “Ter uma linha diversificada como a que temos atualmente é o que nos ajuda. Por vezes, como vimos nestes últimos anos, ou as regiões se compensam entre si – enquanto uma cai, a outra cresce – ou os ciclos acontecem de forma diferenciada. É importante destacar que na crise não fizemos muito dinheiro, mas não perdemos nenhum centavo”, frisou.

    Fistarol reforçou aos empresários presentes a importância de aplicarem os conceitos do World Class Manufacturing (WCM), programa de eficiência produtiva adotado em todas as fábricas do grupo no mundo, incluindo as empresas da co-irmã FCA. Ele revela que a CNH Industrial alcançou um ganho médio de 10,5% de eficiência gerada pelo programa em relação ao custo de produção. Atualmente, cerca de 500 empresas já estão envolvidas com o programa e a exigência mínima é de 8% ao ano.

    OS PREMIADOS


    Dos 249 fornecedores elegíveis para o Suppliers Excellence Awards 2018, a CNH Industrial definiu os três que mais pontuaram em cada uma das onze categorias, formando o time de finalistas. Os vencedores de cada uma foram anunciados durante a cerimônia de entrega dos troféus. Além dos 11 premiados, foram eleitos os melhores projetos na categoria especial Sustentabilidade, que reconheceu três ações em cada sub-categoria, a de meio ambiente e a de responsabilidade social.

    Por fim, a empresa guardou para o fim da cerimônia o anúncio do Fornecedor do Ano, premiado por sua excelência ao apresentar os melhores índices em todos os critérios avaliados. A vencedora da noite foi a Tenneco Automotive, que também venceu na categoria Tecnologia e Inovação.

    Veja a lista completa dos finalistas e os vencedores em cada categoria:

    Fornecedor do Ano:
    Tenneco Automotive

    Qualidade:
    Finalistas: Protomax, Schaeffler e Sika Automotive
    Vencedora: Schaeffler

    Entregas:
    Finalistas: Borrachas Daud, Metalúrgica Frum e Rassini-NHK
    Vencedora: Rassini-NHK

    WCM – World Class Manufacturing:
    Finalistas: Alfagomma do Brasil, Tecparts e VS de Lima
    Vencedora: Alfagomma do Brasil.

    Otimização no Custo do Produto:
    Finalistas: Fundimisa, Magno Peças e Piatex
    Vencedora: Magno Peças

    Logística no Transporte:
    Finalistas: Encaixe, Nova Safra e Sada
    Vencedora: Sada

    Tecnologia e Inovação:
    Finalistas: Maxion Montich, Sumiriko do Brasil e Tenneco Automotive
    Vencedora: Tenneco Automotive

    Capex:
    Finalistas: Belle Plastic, Brasif Locadora e JS Ferramentaria
    Vencedora: JS Ferramentaria

    Materiais Indiretos e Serviços:
    Finalistas: Guia Mkt, Massima Alimentação e Paleta Pintura
    Vencedora: Massima Alimentação

    Parts & Service:
    Finalistas: Daido, Quantum e Sanven Metalúrgica
    Vencedora: Daido

    Parceria Comercial:
    Finalistas: Continental, Petronas Lubrificante e Titan Pneus
    Vencedora: Titan Pneus

    Melhor Fornecedor Argentina:
    Finalistas: Carraro Argentina, Musian Canciani e Pellacani
    Vencedora: Musian Canciani

    Sustentabilidade:
    Meio Ambiente:
    Truck Bus – Projeto Construção de Planta Ecológica
    Continental - Green Plant Label
    Dana - Zero Efluentes

    Responsabilidade Social:
    Fênix Soluções Ambientais - Política De Inclusão E Diversidade No Ambiente Laboral
    Titan Pneus - Programa Viva Livre
    Bruning - Projeto Viva