Com início da produção do e-Delivery, VWCO amplia o e-Consórcio

ABB e GD Solar entram no grupo que agora integram 10 fornecedores de soluções de eletromobilidade

Por PEDRO KUTNEY, AB
  • 13/07/2021 - 20:00
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • 2 minutos de leitura

    Criado pela Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) no fim de 2019 para viabilizar o desenvolvimento e a produção do primeiro caminhão elétrico projetado e fabricado no Brasil, bem como fornecer soluções para a eletromobilidade, o e-Consórcio está sendo ampliado com o lançamento do e-Delivery, que começou a ser vendido esta semana. Mais duas empresas, ABB e GD Solar, estão se juntando ao grupo agora formado por 10 parceiros, incluindo também Weg, CATL, Moura, Bosch, Meritor, Siemens, Semcon e Eletra, que já integravam o e-Consórcio desde o início.

    Publicidade



    Os dois novos integrantes fazem parte dos fornecedores soluções de eletromobilidade. A ABB se junta à Siemens para fornecer recarregadores e consultoria técnica para dimensionar a rede elétrica dos clientes que vão precisar “reabastecer” seus veículos elétricos. Na mesma linha, a GD Solar fornece painéis fotovoltaicos para geração própria de energia solar, o que pode tornar o custo de recarregamento mais barato com independência da rede de distribuição externa. Esta foi a opção da fabricante e distribuidora de bebidas Ambev, primeira cliente do e-Delivery, que já equipou o teto de suas garagens para gerar eletricidade.

    TIME DE COMPONENTES



    Outros cinco parceiros do e-Consórcio são fornecedores dos principais componentes, incluído o “coração” do veículo elétrico, as baterias. As células de íons de lítio são importadas da chinesa CATL e recebidas no Brasil pela Moura, que faz a montagem dos módulos e seus periféricos em uma nova linha criada em sua fábrica de Belo Jardim (PE).

    De lá os módulos são encaminhados para a planta de Resende (SP), onde a Moura passou a ser a nona integrante do Consórcio Modular de produção regular da VWCO. A empresa é responsável pela operação do e-Shop, uma estação à parte da linha de montagem tradicional, para onde o chassi é “desviado” para ser equipado com o powertrain elétrico e energizado. As demais etapas produtivas do e-Delivery são as mesmas dos caminhões a diesel.


    O e-Shop em Resende (RJ), onde o e-Delivery é eletrificado e energizado pela Moura

    No início da linha regular de montagem, a Meritor, também integrante dos consórcios modular e elétrico, recebe o chassi montado pela Maxion e integra seu eixo trativo ECO (electric compatible), projetado especialmente o e-Delivery, que depois segue para o e-Shop onde a Moura faz a integração de seus módulos de baterias, o motor elétrico da Weg e a unidade de controle da Bosch, o cérebro do veículo com elevado poder de processamento.

    Com um time envolvendo engenheiros de diversos países como Brasil, Alemanha, Índia, Áustria e Vietnã, a Bosch também nacionalizou a produção da unidade de controle do veículo, ajudando a aumentar o índice de conteúdo local do e-Delivery, que segundo a VWCO, apesar do grande número de componentes importados, já nasce com localização suficiente para ser financiado pela linha Finame do BNDES, que exige nacionalização mínima de 50% em valor e 60% em peso.


    O e-Delivery é produzido na mesma linha de montagem dos outros caminhões a diesel da VWCO, a única diferença é o powertrain elétrico instalado no e-Shop

    ENGENHARIA E MANUFATURA



    Também integra o e-Consórcio a sueca Semcon, responsável pelos serviços de engenharia do desenvolvimento de veículos elétricos da VWCO, que além dos novos e-Delivery 11 e 14 contempla os projetos de novas versões e outros modelos, como o ônibus híbrido Volksbus e-Flex que está em fase de testes e é candidato a ser o próximo lançamento eletrificado da montadora.

    Por fim, a Eletra, tradicional fabricante brasileira de trólebus, entrou no e-Consórcio desde o início como fornecedora de conhecimento na manufatura de veículos elétricos. A empresa montou os primeiros protótipos do e-Delivery e atualmente faz o retrofit de caminhões VW a diesel convertidos para a eletricidade.



    - Leia também o Especial VWCO 40 Anos