Empregados da GM em São José aprovam PDV e extensão de layoff

Montadora consegue aprovar propostas em todas as suas fábricas no País

Por REDAÇÃO AB
  • 25/08/2020 - 19:45
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura

    Os trabalhadores da fábrica da General Motors em São José dos Campos (SP) aprovaram a proposta da empresa de abrir um programa de demissão voluntária (PDV) na unidade e estender por mais dois meses, até novembro, o afastamento temporário (layoff) de cerca de mil dos 3,5 mil empregados da planta, onde são produzidos dois veículos (a picape S10 e o SUV Trailblazer), além de motores, transmissões e outros componentes. A aprovação foi feita ppor votação on-line promovida pelo sindicato dos metalúrgicos da região na segunda-feira, 24, até às 16h da terça-feira, 25.

    Segundo o sindicato, 82,3% (2.320) dos trabalhadores aprovaram a abertura do PDV, 13,9% (391) rejeitaram e 3,9% (109) abstiveram-se de votar. Já a extensão do layoff foi aprovada por 85,1% (2.399) dos votantes e rejeitada por 13,3% (376), com 1,6% (45) de abstenções.

    Com a aprovação, a GM conseguiu a estender até novembro o afastamento temporário de funcionários de todas as suas fábricas no País: além de São José, os empregados de São Caetano do Sul (SP), Gravataí (RS) e Joinville (SC) já tinham aprovado a aplicação de layoff por mais dois meses para parte dos funcionários, sendo que a empresa também propôs nova extensão, por até cinco meses, caso o mercado não reaja.

    O PDV aprovado em São José é o mesmo que já tinha sido aceito pelos empregados de São Caetano. Em ambos os casos a GM não informou aos sindicatos envolvidos qual é a meta e o período de adesão. Aqueles que aderirem receberão de 3,5 a 7 salários adicionais (para quem tem de quatro a dez anos de casa), extensão do convênio médico e um carro Onix Joy Black (acima de 11 anos).