Empregados da GM em São José dos Campos vão votar PDV e extensão de layoff

Linha de produção da picape S10 em São José dos Campos: GM quer estender layoff de 1,1 mil empregados até o fim de novembro

Por REDAÇÃO AB
  • 21/08/2020 - 15:45
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura

    Os funcionários da General Motors em São José dos Campos (SP) vão votar a partir das 8h da segunda-feira, 24, até às 16h da terça-feira, 25, se aceitam a abertura de um programa de demissões voluntárias (PDV) na fábrica e a extensão por mais dois meses, até novembro, do layoff (suspensão temporária do contrato de trabalho) de 1,1 mil trabalhadores afastados desde 13 de abril, que deveriam regressar ao trabalho em 12 de setembro. A GM fez a proposta há cerca de 10 dias, mas só agora ela será votada pelo sistema virtual criado pelo sindicato dos metalúrgicos da região.

    São José será a última fábrica da GM no País a votar a proposta de extensão do layoff. Em todas as outras (São Caetano do Sul/SP, Gravataí/RS e Joinville/SC) os empregados já aprovaram a prorrogação do afastamento de parte do quadro até novembro, com garantia de receber 100% do salário líquido (R$ 1.813 pagos pelo governo e o complemento pela empresa). Se até lá o mercado não reagir, a empresa já adiantou que vai propor mais cinco meses de layoff.

    No caso da fábrica de São Caetano, os empregados também aceitaram a abertura do PDV, exatamente com as mesmas compensações oferecidas em São José, incluindo salários adicionais, extensão do convênio médico e um carro Onix Joy Black. Os benefícios variam de acordo com o tempo de casa de cada trabalhador.

    Para todos os casos, a GM alega que precisa readequar a produção de suas fábricas no País em função da redução do mercado após a proliferação da pandemia de coronavírus, desde março passado. Em nota, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José do Campos e Região afirma que “vem negociando com a GM medidas para preservação de empregos na fábrica e defende a adoção de estabilidade para todos os trabalhadores”.

    Segundo o sindicato, atualmente cerca de 1,1 mil empregados estão em layoff e 2,5 mil voltaram ao trabalho na fábrica de São José, que produz a picape S10, o SUV derivado Trailblazer, além de motores, transmissões e outros componentes.