Este é o EcoSport “global” da Europa

O EcoSport agora pode ser comprado na Europa sem o estepe pendurado na traseira

Por PEDRO KUTNEY, AB
  • 04/03/2015 - 19:10
  • | Atualizado há 2 months
  • 2 minutos de leitura
    A Ford apresenta esta semana no Salão de Genebra, na Suíça, uma versão repaginada do EcoSport, que passa a ser vendido em países europeus a partir de junho, com melhorias aplicadas pela engenharia da montadora na Europa em relação ao projeto original, que foi desenvolvido entre 2010 e 2012 pela subsidiária da empresa no Brasil. A mudança mais notada é a retirada do estepe da tampa traseira, que passa a ser opcional, mas diversas outras alterações foram feitas para aprimorar a dirigibilidade e o isolamento acústico. O novo carro foi mostrado sob a forma do conceito EcoSport S exposto no estande da marca em Genebra, com rodas de 17 polegadas e teto pintado em preto.

    Criado para ser um dos veículos globais da Ford, o SUV compacto não teve grande sucesso na Europa, provando que nem todas as globalizações funcionam, especialmente aquelas que introduzem em mercados de maior renda produtos projetados para público de menor renda. Desde o lançamento na região, em abril de 2014, apenas 11,2 mil EcoSport foram comprados em países europeus, ou menos de um décimo das vendas dos principais concorrentes no mesmo período, como o Peugeot 2008 com 125 mil unidades e o Renault Captur com quase 150 mil. Por isso a montadora decidiu “desglobalizar” o projeto, para torná-lo mais competitivo entre consumidores mais exigentes, que não aceitaram a rusticidade de acabamento e o reduzido espaço interno na comparação com a concorrência na mesma faixa de preço. Apesar de ter sido projetado no Brasil, o carro vendido na Europa é produzido na Índia, onde deverão ser executadas as mudanças feitas pela engenharia europeia.

    Na última década, os SUVs deixaram de ser pesos-pesados derivados de caminhonetes para ficar cada vez mais parecidos com carros leves, por isso poucos conservaram o estepe pendurado na traseira, pois o símbolo fora-de-estrada perdeu o sentido, virou um trambolho pesado e desnecessário. No entanto, quando modernizou o EcoSport e o transformou em modelo global a Ford manteve o pneu sobressalente do lado de fora porque seguiu o modelo brasileiro, por necessidade, para não ocupar espaço do porta-malas reduzido. Na Europa essa solução não é necessária, já que lá o pneu reserva de tamanho original não é obrigatório. A partir de junho os clientes europeus vão poder escolher se querem comprar o EcoSport com a roda adicional na traseira, que será vendida como opcional, ou se preferem levar o veículo só com o kit standard de reparo, usado só para levar o veículo até o borracheiro mais próximo em caso de pneu furado.

    Segundo a Ford, além da traseira limpa, os europeus também vão poder comprar um EcoSport mais estável e seguro. A nova versão do carro passou por recalibragem da suspensão, com molas e amortecedores revisados. A altura livre do solo foi reduzida em 10 milímetros, aliado à otimização feita no controle eletrônico de estabilidade (ESC) e na direção elétrica, para suavizar o comportamento dinâmico do carro e melhorar a dirigibilidade. O EcoSport europeu também recebeu um “pacote de inverno”, com aquecimento do para-brisas, dos espelhos retrovisores e dos assentos dianteiros.

    No interior, a Ford colocou no EcoSport um novo quadro de instrumentos e instalou alguns acabamentos cromados. Os níveis de vibração e ruído foram reduzidos com a aplicação de materiais isolantes nas portas e no painel. Equipamentos que pela primeira vez serão oferecidos no modelo vendido na Europa incluem câmera de ré e central multimídia com tela colorida de 4 polegadas, que mostra informações da navegação por GPS.