Evento da PwC revela as maiores dúvidas sobre Rota 2030

Mesmo com o primeiro ciclo estando previsto para terminar em 2022, muitas empresas ainda estão incertas sobre o programa

Por WILSON TOUME, PARA AB
  • 29/07/2021 - 15:57
  • | Atualizado há 1 month
  • um minuto de leitura

    A consultoria PwC realizou na quinta-feira, 29, o evento virtual “Rota 2030 e PPA - Dúvidas e Benefícios”, que contou com a presença de Ricardo Zomer e Gustavo Victer, coordenadores da Sepec (Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade), do Ministério da Economia e de Frederico Von Ah, da PwC, com mediação de Edmilson Monutti, sócio da PwC Brasil e conselheiro da Amcham Campinas.

    Dirigido aos profissionais de diversos setores da indústria automotiva – como pesquisa, desenvolvimento, inovação, controladoria etc.), o evento teve como objetivo levantar e esclarecer questões sobre os PPA (Procedimentos Previamente Acordados) e a legislação do programa Rota 2030, cujo primeiro ciclo (o qual estabelece que todas as montadoras habilitadas no programa melhorem as médias de eficiência energética de seus veículos vendidos no mercado nacional em 11%, pelo menos) deve ser concluído até o fim do próximo ano.



    Durante a apresentação, o mediador fez algumas perguntas para audiência sobre o assunto, e chamou a atenção o fato de que, para aproximadamente 70% das pessoas que estavam participando do evento, suas empresas vão conseguir cumprir as exigências do programa, enquanto 30% acha que as metas serão cumpridas parcialmente.

    Uma questão enviada pelo público também mereceu destaque: a possibilidade de a reforma tributária reduzir ou eliminar os incentivos previstos pelo Rota 2030. “Por enquanto, isso é apenas uma proposta, então, não temos nada de concreto e nada disso chegou até o nosso departamento, mas se houver essa mudança, todos os programas do governo que lidam com incentivos, seja de imposto de renda ou de contribuição social ou qualquer outro tributo que venha a ser impactado por uma reforma tributária precisarão ser revistos”, afirmou Ricardo Zomer.

    Dúvidas sobre auditorias independentes e a necessidade da presença de auditores em testes de campo também foram comentadas e esclarecidas durante o evento. Mas, devido ao limite de tempo, o mediador Edmilson Monutti informou que muitas perguntas não puderam ser feitas. Por conta disso, os técnicos do Ministério da Economia lembraram ao público que as questões sobre o programa de incentivo podem ser encaminhadas a eles por meio do e-mail [email protected] .