Falta de produtos provoca queda na venda de motos em outubro

Houve recuo de 3,5% na comparação com setembro; mas mercado segue aquecido, segundo a Fenabrave

Por REDAÇÃO AB
  • 04/11/2020 - 16:41
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura

    Após uma série de meses registrando recuperação nas vendas (desde abril), o mercado de motos apresentou retração no número de unidades comercializadas em outubro. A queda foi de 3,5% em relação ao total vendido em setembro, com 96.159 motocicletas licenciadas em outubro contra 99.621 emplacadas no mês anterior. Quando comparado com o número de vendas de outubro de 2019 (98.416 veículos), o total obtido em outubro deste ano é menor em 2,3%.



    Esse resultado, contudo, não chega a causar estranheza, já que a produção do setor vem sendo impactada há tempos pela falta de componentes enviados pelos fornecedores – cujas fábricas estão operando em ritmo mais lento por conta das restrições sanitárias necessárias por conta da Covid-19.

    MERCADO CONTINUA AQUECIDO



    “O segmento de motocicletas continua aquecido, tanto pela procura de um transporte individual, quanto por sua consolidação como veículo de trabalho. No entanto, a produção segue afetada pela falta de componentes e a indústria não está conseguindo atender a demanda, fazendo o prazo médio de entrega ser de, aproximadamente, 37 dias”, declarou Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave. “A aprovação de crédito nos financiamentos está melhor e hoje temos 4,7 cadastros aprovados a cada dez apresentados para financiamentos”, completou.

    De janeiro a outubro, o mercado soma 727.232 motocicletas comercializadas no País neste ano, volume 18,7% inferior ao registrado no mesmo período do ano passado, que foi de 895.015 veículos. Já no ranking histórico, outubro deste ano foi o 11º melhor, entre todos os meses de outubro, desde 1957, enquanto o acumulado do ano é o 15º, de acordo com o levantamento feito pela Fenabrave.