Fiat e VW continuam a perder participação

De janeiro a setembro só Toyota e Jeep tiveram crescimento de vendas

Por PEDRO KUTNEY, AB
  • 07/10/2016 - 21:53
  • | Atualizado há 2 months
  • 3 minutos de leitura
    No período de nove meses em que só duas marcas (Toyota e Jeep) anotaram crescimento de vendas e o mercado brasileiro registrou retração global de 22,5% em relação ao mesmo intervalo de 2015, Fiat e Volkswagen foram as duas que mais perderam participação, entregando 5,66 pontos porcentuais de market share de um ano para outro.

    A Fiat continua em segundo lugar no ranking das marcas de carros e comerciais leves mais vendidas do País, mas de janeiro a setembro suas vendas caíram 34,6%, tombo bastante acima da média do mercado, e com isso a fabricante foi a que mais perdeu participação no período, 2,86 pontos, descendo a 15,3%. Entre os lançamentos recentes, só a picape Toro vai bem. O subcompacto Mobi não agradou o consumidor e o recém-renovado Uno ainda não teve tempo de se consolidar.

    A Volkswagen fez renovações importantes em sua linha este ano, com os novos Gol, Voyage e Saveiro, mas não conseguiu aquecer suas vendas pois faltou produto nas concessionárias com as diversas paralisações que a montadoras foi obrigada a fazer em suas fábricas por falta de peças, em disputa de preços com o Grupo Prevent. Com o problema, os emplacamentos da marca recuaram 36,9% nos nove primeiros meses do ano em comparação com o mesmo período de 2015. A VW só fica por pouco atrás da Fiat em perda de participação de mercado, cedendo 2,8 pontos entre um ano e outro, agora com 12,2%, mantendo assim a terceira colocação no ranking.

    No topo da tabela ainda está a General Motors, sustentada pela boa aceitação da dupla Onix/Prisma, recém-renovados. De janeiro a setembro a fabricante vendeu 15% a menos do que no mesmo período do ano passado, porcentual inferior ao do tombo médio do mercado, e conseguiu conquistar mais 1,5 ponto porcentual de participação, agora em 16,9%.

    O mercado segue mudando bastante da quarta posição para baixo. Este ano a Ford não conseguiu se sustentar em seu histórico quarto lugar e desceu para o sexto, com participação de 8,97% na soma das vendas entre janeiro e setembro, 1,7 ponto abaixo do registrado nos mesmos nove meses de 2015. As bom desempenho do Ka, terceiro carro mais vendido do País, não foi suficiente para segurar sozinho o market share da Ford. No geral, os emplacamentos de carros e comerciais leves da marca caíram 34,8% na comparação com os volumes acumulados até setembro de 2015 e 2016.

    Já a Hyundai conseguiu tomar o quarto lugar da Ford com a surpreendente e longeva boa aceitação do HB20, segundo carro mais vendido no Brasil atualmente. A marca coreana ganhou 1,95 ponto de participação, subindo a 10%, contabilizando leve queda de 3,7% nas vendas de janeiro a setembro – o que pode ser considerado um ganho no atual quadro recessivo do mercado.

    Quem também vem bem este ano é a Toyota, que conseguiu até leve crescimento das vendas de 1% nos nove meses deste ano e ganho de 2,13 pontos de participação, para 9,2%. Mas o principal responsável pelo bom desempenho nem é o compacto Etios, apenas em 14º na lista dos mais vendidos do País, mas o sedã médio Corolla, um carro acima de R$ 80 mil que ocupa a quinta colocação nas preferências dos brasileiros.

    A Renault não conseguiu se sustentar na quinta colocação do ranking de marcas mais vendidas que vinha ocupando há anos e desceu para a sétima, superada por Ford, Toyota e Hyundai. A francesa ficou praticamente parada enquanto as outras a ultrapassaram. A participação de mercado variou positivamente apenas 0,34 ponto, para 7,5%, e a queda de suas vendas foi de 18,8%, até um pouco menor do que a média do mercado.

    Outra que ficou estável em termos de market share foi a Honda, com ínfimo ganho de 0,22 ponto no acumulado janeiro-setembro, para 6,2%. As vendas da marca baixaram 19,6% no período, em comparação com o ano passado. A tendência futura é de melhora com o lançamento do novo Civic.

    A Nissan conseguiu se sustentar na nona posição do ranking, com queda de 8% nas vendas dos primeiros nove meses de 2016 contra 2015 e ganho de 0,46 ponto de market share, agora em 2,93%. O lançamento recente do SUV Kicks deverá ajudar a marca a subir na preferência dos brasileiros.

    Foi o que aconteceu com a Jeep após o lançamento do Renegade feito no Brasil, há cerca de um ano e meio. De 2015 para 2016 as vendas já cresceram 76,7% de janeiro a setembro e a marca subiu da 12ª para a 10ª colocação entre as marcas mais vendidas no País, ganhando 1,55 ponto de participação, agora em 2,76%. O novo Compass lançado recentemente, também produzido em Pernambuco, chega para ajudar nessa ascensão.

    Veja abaixo o desempenho das 10 marcas de automóveis e comerciais leves mais vendidas do País de janeiro a setembro de 2016: