Ford Ranger roda 13 mil quilômetros com B100

Chegada do projeto Travessia Oceânica B100 foi no Farol da Barra, em Salvador, BA (foto: divulgação)

Por REDAÇÃO AB
  • 01/08/2012 - 12:22
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura
    Promovido pela Universidade Federal da Bahia para testar a eficiência do biodiesel 100%, o projeto Travessia Oceânica B100 teve o apoio da Ford. O combustível produzido a partir de óleos vegetais foi usado durante cerca de 13 mil quilômetros numa picape Ranger. A viagem pioneira foi concluída esta semana, com a chegada do grupo participante no Farol da Barra, em Salvador. A Travessia Interoceânica B100 durou duas semanas. Partiu da Bahia, passando por outros quatro Estados (Goiás, Mato Grosso, Rondônia e Acre), além do Distrito Federal, até a cidade de Ilo, na costa do Peru.

    A Ford doou duas picapes Ranger para o projeto que se iniciou há três anos. No teste, um dos veículos foi abastecido com diesel convencional, B5 (com 5% de biodiesel). O outro usou 100% biodiesel produzido a partir de azeite de dendê e óleo de cozinha no laboratório de energia e gás da universidade baiana. Segundo o professor da instituição de ensino, Ednildo Andrade Torres, o desempenho dos veículos foi positivo.

    "Nunca antes havia sido feito um teste como este, inicialmente no laboratório e depois em campo, a 4,5 mil metros de altitude e depois no nível do mar", disse o pesquisador. “A avaliação foi extremamente positiva, sem nenhum problema no percurso, o que mostra a qualidade e o desempenho não só das picapes como do planejamento executado pela equipe.”

    Os pesquisadores esperavam uma diferença de 10% no rendimento dos combustíveis, mas a variação foi menor. A picape com B5 fez cerca de 10,7 km/l e a com B100, 10,3 km/l, queda de 3,7%. Durante a viagem foram recolhidas amostras de óleo do motor da Ranger.

    "Após a chegada, os veículos estarão disponíveis para análises, pelas quais poderemos avaliar fatores como desempenho e desgaste de peças durante o percurso", explica Leandro Benvenutti, especialista técnico em combustíveis e lubrificantes da Ford. "Nosso propósito ao apoiar a travessia foi puramente a pesquisa. A ideia é observar o comportamento do veículo com esse tipo de combustível (B100) e colher dados úteis para projetos futuros", afirma Benvenutti.

    Um dos objetivos do experimento é chamar a atenção para o potencial de ampliação dos biocombustíveis na matriz energética brasileira e da utilização do biodiesel em diferentes proporções no setor de transportes. A Ford informa que vem testando a nova geração da picape Ranger com biodiesel. As picapes doadas à universidade (foto) eram de gerações anteriores.