Geely segue nas compras, agora com 10% da Daimler por US$ 9 bilhões

Aquisição torna montadora chinesa a maior acionista do grupo alemão

Por REDAÇÃO AB
  • 27/02/2018 - 15:39
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura
    A fabricante chinesa Geely continua comprando operações europeias. O lance mais recente dessa estratégia foi a aquisição de 9,7% de participação na Daimler, empresa que controla a Mercedes-Benz. A transação envolveu cerca de US$ 9 bilhões, de acordo com a Bolsa de Valores de Frankfurt. Dessa forma a Geely se tornou o maior acionista da empresa alemã. Este também teria sido o maior investimento feito por uma companhia chinesa em uma montadora internacional.

    A Geely tem se mostrado ávida em adquirir participações em montadoras europeias. No meio do ano passado se aproximou da FCA (Fiat Chrysler), gerando rumores e especulações por algumas semanas sobre a aquisição da companhia pelos chineses. O empresário Li Shufu, que controla a Geely, tentou se aproximar da FCA a fim de explorar a expansão de seus negócios fora do mercado doméstico.

    A chinesa causou espanto no mundo corporativo das grandes montadoras em 2010, quando comprou a Volvo Cars da Ford. Mais recentemente, no fim de dezembro passado, desembolsou mais US$ 3,3 bilhões para adquirir participação de 8,2% na unidade de caminhões da marca sueca, a Volvo Trucks. Também levou em 2017 metade da montadora malaia Proton, e o controle acionário da Lotus, tradicional fabricante inglesa de esportivos.

    A marca Geely atuou no Brasil entre 2014 e 2016 representada pelo Grupo Gandini, também importador da coreana Kia. Com 26 concessionárias, foram vendidas pouco menos e 2 mil unidades. Os carros eram montados sob responsabilidade de Gandini na Nordex, no Uruguai, e trazidos ao Brasil. A produção no país vizinho parou em 2016.