General Motors cota o Projeto Jade, um novo popular para substituir o Celta

Modelo compacto é cotado para ser fabricado em São José dos Campos em 2017

Por PEDRO KUTNEY, AB
  • 13/09/2013 - 14:45
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura

    Começa a tomar forma um novo carro compacto da General Motors no Brasil. A montadora começou a cotar com fornecedores componentes para o que no momento é conhecido pelo nome-código Projeto Jade. Segundo uma fonte de Automotive Business, este seria o modelo de entrada popular da gama de produtos Chevrolet no País, que viria para substituir o Celta. A cotação com os fornecedores considera orçamento para 300 mil veículos por ano, com início da produção previsto para 2017, provavelmente na planta de São José dos Campos (SP).

    A expectativa de produção do novo modelo prevê o crescimento do mercado brasileiro e também de exportações para países sul-americanos. No Brasil, o modelo fecharia a única lacuna da gama que a GM não renovou no Brasil, a do Celta, que apesar de envelhecido ainda é o 12º automóvel mais vendido do País (51.978 unidades de janeiro a agosto) e único Chevrolet atualmente na faixa abaixo dos R$ 30 mil. Desta vez, contudo, será mais difícil manter o nome-código do projeto no carro, como aconteceu com o Onix. O problema é que o nome já é usado: a Honda lançou este ano na China a perua Jade.

    NEGOCIAÇÕES

    O possível investimento anunciado pela GM de R$ 2,5 bilhões, para fazer um novo carro popular em São José do Campos, dependia da obtenção de incentivos estaduais e municipais, o que foi conseguido, e da aprovação de acordo com os trabalhadores daquela unidade, o que aconteceu em junho passado, após dois meses de negociações (leia aqui). Somente depois disso a planta passou a ser considerada pela matriz da GM para receber o aporte.

    Na época, Luiz Moan, diretor de relações institucionais da companhia e presidente da Anfavea, disse que o Brasil disputava o projeto com dois outros países e a escolha final deveria ser feita até 6 de julho. Não saiu. Mais recentemente, já no fim de agosto, ele revelou que só mais um país competia pelo investimento com a planta brasileira. A cotação do Projeto Jade com fornecedores brasileiros é um indício que São José dos Campos pode ficar com a produção do novo carro popular, mas ao que tudo indica a decisão ainda não foi tomada.

    Conflitos constantes com o Sindicato dos Metalúrgicos do Vale do Paraíba fizeram a GM adotar a estratégia de esvaziar São José, direcionando menos investimentos à unidade. A linha de veículos leves (MVA) perdeu no ano passado a produção do Corsa, Meriva e Zafira, que foram descontinuados. Com isso, 1,3 mil empregados foram demitidos e outros 850 devem ficar só até dezembro, quando o Classic deixará de ser produzido na MVA. A planta ainda continua a fazer a picape S10 e o SUV Trailblazer, além de motores, transmissões e outros componentes.