GM adia demissões em São Caetano

Funcionários da unidade que seriam desligados terão mais 30 dias de layoff

Por REDAÇÃO AB
  • 03/03/2016 - 16:35
  • | Atualizado há 2 months
  • 43 segundos de leitura
    Após negociações com o sindicato local dos metalúrgicos, a General Motors adiou as demissões ao prorrogar por mais 30 dias o layoff, termo aplicado para a suspensão temporária dos contratos de trabalho. A medida atinge 2.258 funcionários. Destes, mil retornarão à fábrica no dia 7 de março com a reativação do segundo turno, suspenso desde outubro.

    “Não há garantia de que todos serão reintegrados (...) Por isso negociamos a prorrogação do layoff por mais 30 dias”, afirma o presidente da entidade, Aparecido Inácio da Silva. O dirigente recorda que as negociações com a montadora elevaram o número de trabalhadores que retornarão à fábrica na segunda-feira. Com isso, as dispensas, se ocorrerem em um mês, atingirão 1.258 funcionários e não mais 1,5 mil.

    Pelo acordo feito com a direção da General Motors, aqueles que forem demitidos com o fim do layoff receberão acréscimo em dinheiro no valor de cinco salários nominais. A GM de São Caetano do Sul monta os modelos Cobalt, Montana, Spin e também o Cruze, cuja produção deve ser transferida para a Argentina com a chegada de sua nova geração.