GM estende layoff com redução de salário a três outras fábricas

General Motors ainda aguarda aprovação de trabalhadores de São José dos Campos (SP), onde é feita a picape S10

Por MÁRIO CURCIO, AB
  • 06/04/2020 - 18:55
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura

    A General Motors conseguiu estender para as fábricas de Gravataí (RS), Joinville (SC) e Mogi das Cruzes (SP) o acordo de layoff e redução de 5% a 25% dos salários feito inicialmente com os trabalhadores da unidade de São Caetano do Sul e do campo de provas de Indaiatuba (ambos em SP). A medida decorre da quarentena provocada pela Covid-19.

    A montadora aguarda agora a aprovação de sua proposta apresentada ao Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos (SP). Os trabalhadores da unidade participarão de votação eletrônica aguardada para os próximos dias.

    Segundo o sindicato, a GM propôs os seguintes porcentuais por faixa salarial:


    Até R$ 2.090,00 – 95%;
    R$ 2.090,01 a R$ 5.000 – 90%;
    R$ 5.000,01 a R$ 10.000 – 85%;
    R$ 10.000,01 a R$ 20.000 – 80%;
    Acima de R$ 20.000,01 – 75%.

    A redução salarial será acompanhada de suspensão dos contratos de trabalho, conforme a Medida Provisória 936. Segundo o sindicato, se aprovada, a medida irá atingir 90% dos trabalhadores da General Motors de São José dos Campos, onde ocorre a montagem da picape S10 e a produção de componentes.

    A unidade emprega cerca de 3,8 mil trabalhadores. Apenas 100 ficarão na fábrica e por isso não serão impactados pela medida. Outros 42 trabalharão em regime de home office.

    “A GM não tem por que cortar salários, mas foi irredutível na mesa de negociação. Como o sindicato é uma entidade que segue a democracia operária, vai submeter a proposta aos trabalhadores. Eles decidirão se aceitam ou não”, afirma o vice-presidente da entidade, Renato Almeida.

    O sindicato recorda que neste momento os funcionários estão em férias coletivas, que terminam no dia 12. A medida foi adotada no combate ao coronavírus.