Great Wall apresenta picape Poer ao mercado brasileiro

Empresa chinesa confirma em rede social um dos seus veiculos que estão chegando ao Brasil

Por REDAÇÃO, AB
  • 02/08/2021 - 14:31
  • | Atualizado há 1 month, 1 week
  • um minuto de leitura

    A Great Wall confirmou que está chegando ao Brasil e que já tem um modelo para oferecer ao mercado nacional. Em conta oficial no Instagram (@gwmbrasil), a empresa tem divulgado imagens da picape média Poer, modelo de porte similar ao da Toyota Hilux, Chevrolet S10 e Volkswagen Amarok. As imagens revelam detalhes do veículo e a mensagem de que está, de fato, prestes a iniciar operação comercial no país.



    A empresa tem até setembro para decidir sobre a produção local de veículos, um antigo desejo da companhia. Em primeiro momento a operação será feita por meio de veículos importados, enquanto se estuda onde será instalada a fábrica que irá abastecer a América do Sul. A empresa estaria negociando com a Mercedes-Benz a aquisição da fábrica de Iracemápolis (SP) e com a Ford a compra da planta de Camaçari (BA).

    A Poer mede 5,41 metros de comprimento, 1,93 metros de largura, 1,88 metros de altura e a distância entre-eixos é de 3,23 metros. Na China, é vendida em duas versões: uma com motor a gasolina 2.0 turbo de quatro cilindros que gera 190 cavalos de potência e outra versão, a diesel, com motor 2.0 turbo de 163 cavalos.


    A Great Wall se inscreveu na Junta Comercial de São Paulo em maio. De acordo com os dados registrados na entidade, a Great Wall Motor Brasil LTDA foi constituída apta a realizar atividades no mercado em 6 de julho, com capital social de R$ 6 milhões e sede instalada na Mooca, bairro da zona leste de São Paulo.


    A atividade principal registrada é o comércio a varejo de automóveis, camionetas e utilitários novos e peças, e integram o quadro societário Luiz Henrique dos Reis, na qualidade de procurador, e a Wey Europe Investment & Holding, uma das empresas subsidiárias à Great Wall, sediada na Holanda.

    Na América do Sul, a GW mantém atualmente produção em uma pequena linha de montagem no Equador e venda de veículos no Uruguai, Peru, Bolívia, Paraguai, Argentina e Chile – este último onde hoje faz seu maior volume regional, com 2,4 mil veículos vendidos e um faturamento de US$ 44 milhões em 2020.