Grupo Volkswagen fecha o semestre com queda de 2,8%

China e Europa explicam resultado negativo da companhia, que entregou 5,36 milhões de veículos pelo mundo até junho

Por REDAÇÃO AB
  • 12/07/2019 - 16:14
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura

    As vendas mundiais do Grupo Volkswagen neste primeiro semestre somaram 5,36 milhões de unidades, resultando em queda de 2,8% em relação ao mesmo período do ano passado. No acumulado até maio a retração era de 3,7%, mas o mês de junho foi bom para o grupo, especialmente no mercado chinês, que registrou 354,8 mil unidades vendidas e alta de 15% sobre o mesmo mês do ano passado.

    No acumulado persiste na China uma queda de 3,9%, que a companhia alemã não sabe se conseguirá reverter ao longo do ano. Sozinho, o país asiático absorveu 1,9 milhão de unidades.

    As vendas do grupo na Europa andaram de lado até maio e o acumulado até junho resultou em queda de 0,9%, com 2,4 milhões de veículos repassados ao continente. As entregas na Alemanha cresceram menos de 1%. Na Rússia houve alta de 4%, mas o volume total daquele país (107,1 mil veículos no semestre) foi insuficiente para anular o efeito negativo de mercados tanto do Ocidente como das regiões central e leste do continente.

    As vendas no Brasil cresceram 22,8%, com 214,1 mil unidades no semestre, mas em toda a América do Sul a alta foi inferior a 1% como consequência da recessão na Argentina, onde as entregas caíram pela metade na comparação com o primeiro semestre do ano passado.

    VENDAS POR MARCA


    A análise por divisão do Grupo VW mostra que as vendas da Volkswagen Automóveis somaram 3 milhões de unidades e caíram 3,9%. As entregas da Audi somaram 906,2 mil unidades e recuaram um pouco mais, 4,5%. Assim com a Volkswagen Automóveis, a marca premium do Grupo VW também tem grande dependência do mercado chinês.

    A queda de 4,9% nas entregas da marca tcheca Skoda (620,9 mil veículos) se explica pela retração nas regiões central e leste do continente europeu. A Porsche acumulava resultado negativo até maio, mas passou para o positivo no semestre, com 133,5 mil unidades e alta de pequena 2,2% sobre iguais meses do ano passado. Com a renovação do SUV Macan, o crescimento anual tende a ser maior que este.

    Das divisões de veículos comerciais, a Scania mantém a maior alta, 10,1%, com 51,5 mil veículos vendidos em todo o mundo.

    Veja abaixo os resultados por região e por marca: