Grupo Volkswagen recua 2,8% em vendas mundiais

Mercado chinês continua exercendo impacto negativo nos resultados da companhia

Por REDAÇÃO AB
  • 15/04/2019 - 15:32
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura

    As vendas do Grupo Volkswagen somaram no acumulado de janeiro a março 2,6 milhões de veículos, resultando em queda de 2,8% ante o mesmo período do ano passado. A retração foi puxada pelo mercado chinês, o maior para o grupo, onde as 946,6 mil unidades entregues anotaram recuo de 6,3% na comparação interanual.

    As entregas no continente europeu totalizaram 1,15 milhão de veículos no trimestre, resultando em leve alta de 0,8%. A Alemanha e países do bloco ocidental permitiram que as entregas do continente terminassem o trimestre no azul. Europa Central e Leste Europeu anotaram queda de 0,9%, com 187,1 mil veículos entregues.

    Com o avanço do ano, diminuiu a retração na América do Norte. A queda que era de 5,5% no bimestre baixou para -2% no acumulado até março. Embora a situação no México permaneça difícil, as vendas nos Estados Unidos passaram de -3,9% para +0,8% na transição do bi para o trimestre. Na América do Sul, as 131,5 mil unidades entregues no acumulado até março resultaram em ligeira alta de 2,2%. O fraco desempenho da região decorre da crise argentina, já que o Brasil cresceu 27,4% com a venda de 94,4 mil unidades.



    ANÁLISE POR MARCA


    A queda nas vendas do grupo é explicada pela retração das duas divisões de maior volume, Volkswagen automóveis (1,45 milhão, -4,5%) e Audi (447,2 mil unidades, -3,6%). As duas têm grande participação no mercado chinês, que motivou a queda nas vendas mundiais. A fabricante tcheca Skoda, terceira em volume, anotou queda de 2,9% no trimestre.

    As divisões de caminhões e veículos comerciais terminaram o trimestre no positivo, com destaque para a MAN, na qual as 33,6 mil unidades entregues no período resultaram em alta de 9,8% na comparação interanual.

    Veja abaixo os resultados por região e por marca: