Hyundai Brasil fortalece a cultura interna com diversidade e mentalidade ágil

Ricardo Martins, VP administrativo da companhia, fala da abordagem para a gestão de pessoas e das práticas que levou a companhia à lista das Melhores para Trabalhar

Por REDAÇÃO AB
  • 09/02/2021 - 18:40
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • 3 minutos de leitura


    A Hyundai Motor Brasil é uma das 10 empresas, entre 244 inscritas, que figuram no destaque automotivo da Melhores Empresas para Trabalhar – Indústria, uma lista organizada pelo Great Place To Work (GPTW) em parceria com Automotive Business para reconhecer organizações que investem em uma cultura de confiança, desempenho e inovação.



    - Clique aqui para ver a cobertura completa das Melhores Empresas para Trabalhar do Setor Automotivo



    Ricardo Martins, vice-presidente administrativo da Hyundai Motor Brasil, aponta que parcela importante desta conquista está relacionada com o investimento em uma mentalidade ágil para a organização e com a aposta em diversidade e inclusão mesmo durante a pandemia. “Uma empresa só pode ter sucesso se o nível de satisfação e engajamento de suas pessoas estiver contextualizado dentro de uma forte estratégia focada em inovação e respeito à diversidade e igualdade de oportunidades”, diz. Na entrevista a seguir, o executivo traz a visão da Hyundai para o futuro do trabalho e aborda as práticas adotadas pela companhia para a gestão de pessoas no Brasil:

    Quais aspectos da cultura interna a Hyundai entende que mais contribuíram para a companhia estar entre as melhores empresas para trabalhar? Quais são as práticas-chave para a companhia?



    Ricardo Martins, vice-presidente administrativo da Hyundai Motor Brasil - A cultura corporativa é baseada em cinco pilares definidos, que são clientes, pessoas, desafios, colaboração e globalidade. Como nosso foco é a satisfação dos nossos clientes, investimos fortemente em pessoas, buscando superar nossos desafios, por meio da colaboração mútua e interação, respeitando a diversidade de forma global.

    Desde o início das operações no Brasil em 2012, e ao longo desses anos, trabalhamos fortemente com nossos líderes para manter um canal de comunicação aberto e um contato diário com todos nossos colaboradores. Dessa maneira, conseguimos ter um clima organizacional onde a confiança entre as partes faz total diferença na manutenção de um ambiente extremamente colaborativo e saudável. Entendemos também que nosso pilar colaboração é um dos pontos principais para estarmos entre as melhores empresas para se trabalhar.

    Existe a percepção de que uma cultura interna robusta, com gestão de pessoas adequada, acelera a inovação. Como é esta vivência na Hyundai? Vocês detectam esta correlação?



    Sim, e fortemente percebemos esta correlação.

    Investimos em muitos treinamentos e em um modelo de gestão com mentalidade ágil, focando em dois pilares para geração da inovação, que são as pessoas e o ambiente de trabalho. Para a Hyundai, pessoas vistas como curiosas em um ambiente de trabalho criativo geram inovação.



    Como a Hyundai superou os desafios da gestão de pessoas em um ano tão peculiar quanto 2020? Quais foram as principais ações?



    Em meados de fevereiro de 2020, e assim que as primeiras notícias sobre a pandemia na Ásia foram confirmadas, imediatamente e globalmente, nossas operações se integraram e demos início a um protocolo de segurança e proteção aos nossos colaboradores. Começamos a realizar os primeiros procedimentos de controle de temperatura ao acesso à fábrica e aos escritórios, estabelecemos o uso mandatório de máscaras, o afastamento físico entre pessoas, a higienização e sanitização constantes dos ambientes e a implementação do teletrabalho ou do trabalho remoto.

    Fomos a primeira montadora a consolidar tais informações em um “Guia de Boas Práticas” para o combate à disseminação da Covid-19 em ambientes de trabalho, servindo como base para muitas autoridades públicas analisarem e indicarem procedimentos semelhantes para as demais indústrias e para o comércio em geral.

    Uma ação extremamente positiva que realizamos, e visando à humanização do trabalho, aconteceu durante os períodos de lay-off e redução de jornada de trabalho. Decidimos manter o salário líquido de nossos colaboradores. Este ano também passamos a ser signatários da WEP (Womens Empowerment Principles), por meio de um pacto global com a ONU Mulheres, reforçando nossa meta de diversidade e empoderamento feminino.



    A pandemia acelerou uma série de mudanças na forma como as pessoas conduzem suas vidas profissionais. Diante disso, como a Hyundai está trabalhando para construir o futuro do trabalho? Qual é a visão para a gestão de pessoas e da cultura interna nos próximos anos?



    Reconhecemos que a pandemia trouxe diversas oportunidades para inovarmos o modelo de gestão de pessoas. Entendemos que ferramentas como o teletrabalho ou o trabalho remoto são essenciais para momentos de gestão de crise. No entanto, eles também trazem desafios no que diz respeito à análise do desempenho das pessoas e das condições da saúde física e mental de colaboradores.

    Entendemos que os ambientes de trabalho sofrerão as maiores mudanças, talvez nunca previstas anteriormente. Ao mesmo tempo, as estratégias de gestão de talentos e planos de carreira, assim como promoções, serão fundamentais para assegurar o futuro das operações.

    E, para mantermos esta cultura inovadora, nossa área de recrutamento de talentos é peça chave, pois analisa as expectativas de candidatos e busca perfis que estejam em consonância com nossos cinco pilares da cultura corporativa.



    Uma empresa só pode ter sucesso se o nível de satisfação e engajamento de suas pessoas estiver contextualizado dentro de uma forte estratégia focada em inovação e respeito à diversidade e igualdade de oportunidades.