Hyundai HB20 recebe diversas mudanças

Faróis com faixa de LEDs e projetor de luz estão só na opção Premium, de R$ 59.445

Por MÁRIO CURCIO, AB | De Atibaia (SP)
  • 23/09/2015 - 02:00
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • 5 minutos de leitura
    A Hyundai mudou itens de estilo e acabamento na linha 2016 do hatch HB20. Todas as versões receberam grade dianteira e para-choques remodelados. Os novos faróis com faixa de LEDs e projetor de luz estão disponíveis somente no HB20 Premium, topo de linha. E as lanternas traseiras modificadas surgem apenas a partir da opção intermediária Comfort Style.

    O modelo fabricado em Piracicaba (SP) parte agora de R$ 38.995, valor pedido pelo 1.0 Comfort, que recebeu itens extras como vidros dianteiros com função um toque para o motorista e travas das portas com acionamento elétrico, mais aviso de manutenção no computador de bordo. Segundo a fabricante, o acréscimo foi de R$ 400.

    Mais completo, o HB20 1.6 Premium começa agora em R$ 59.455. Subiu R$ 3 mil ao receber ar-condicionado digital, retrovisores com rebatimento automático, airbags laterais, faróis e lanternas diferenciados e câmbio automático atualizado. “As vendas do carro 2016 começam para valer em 10 de outubro, quando toda a rede estiver abastecida”, afirma o diretor executivo de vendas e marketing, Sérgio Rodrigues. Ele não revela outras datas, mas garante que a versão aventureira HB20X e também o HB20S, sedã, não demoram muito a chegar. É provável que venham antes do fim do ano.

    Algumas mudanças importantes aplicadas à linha 2016 só beneficiaram os carros 1.6, como o câmbio manual de seis marchas e o sistema de partida a frio E-Start, que elimina o tanquinho auxiliar de gasolina. A transmissão automática, que continua disponível apenas para os 1.6, passou de quatro para seis velocidades com trocas sequenciais.

    Os HB20 com motor 1.0 mantiveram a transmissão manual de cinco marchas e a partida a frio com gasolina: “São coisas que podem mudar mais para frente”, admite o gerente de produto Rodolfo Stopa. Sobre a possibilidade da transmissão manual de seis marchas no 1.0, Sérgio Rodrigues recorda que esse segmento é sensível a variações de preço e o custo adicional resultante da mudança poderia “tirar o carro da faixa ideal”. Cerca de 60% dos HB20 têm motor de um litro.


    Nova lanterna traseira foi adotada a partir da versão Comfort Style. Interior de couro marrom é opcional na Premium. Câmbio automático agora tem seis marchas com trocas sequenciais na alavanca.

    Para reduzir o consumo de combustível tanto do 1.0 como do 1.6 e manter o carro dentro das metas do Inovar-Auto, a Hyundai aplicou novos anéis e pistões, velas de irídio, um óleo de menor atrito e adotou um sistema de gerenciamento do alternador. A fabricante também utilizou pneus Goodyear Efficient Grip, de baixa resistência ao rolamento.

    Segundo a fabricante, o 1.6 manteve os 128 cavalos de potência máxima, mas ficou até 6,5% mais econômico e migrou da letra B para a A no selo de eficiência energética. Na estrada passou de 13 para 13,8 km/l com gasolina e de 9,3 para 9,9 km/l com etanol. Os 1.0 também permaneceram com 80 cv, mas alcançaram redução de consumo até 6%, mantendo a letra A. Os maiores ganhos foram obtidos na cidade. O modelo saltou de 11,8 para 12,5 km/l com gasolina e de 8,3 para 8,5 km/l com etanol.

    SUCESSO DESDE O LANÇAMENTO

    Quando começou a vender o HB20, em outubro de 2012, a Hyundai deixou clara sua intenção de concorrer diretamente com o Volkswagen Gol, então líder do segmento e do mercado. De lá para cá foram emplacados 334,1 mil hatches HB20, equivalentes a 58% dos licenciamentos do Gol nesse mesmo período.

    E olhe que os Hyundai contaram com uma rede que começou com 120 unidades e está hoje com 194. Já a Volkswagen tem cerca de 600 revendas. Nesse meio tempo o Gol caiu da primeira para a quinta posição no ranking geral e o HB20 ocupa o terceiro posto, atrás do Fiat Palio e do Chevrolet Onix, que ajudaram a empurrar para baixo o VW – o Palio por contar com duas carrocerias, nova e antiga, e o Onix pela grande rede e por também ter agradado ao mercado.

    “Do ano em que foi lançado até o momento, o HB20 saltou de 0,6% para 6,3% de participação de mercado. E a fatia da Hyundai cresceu de 3% para 8%”, recorda Stopa. O HB20 vem-se mostrando valente até mesmo diante da crise. Enquanto as vendas de automóveis de janeiro a agosto recuaram 19,4%, as do Hyundai diminuíram bem menos, 7,5%. E as do HB20S, o sedã, registraram leve alta de 1,4%. Como resultado, a fábrica de Piracicaba permanece trabalhando em três turnos.

    ÁUDIO, MULTIMÍDIA E ACABAMENTO

    O HB20 tem agora desde a versão básica um novo rádio com tela de 3,8 polegadas, Bluetooth para audio streaming, conexão USB, comandos de som e telefonia no volante. Opcional para a versão topo de linha Premium, a central Bluemedia tem tela de sete polegadas, conexão Bluetooth para audio streaming, conexão USB, comandos de som e telefonia no volante. O equipamento permite espelhamento das telas de smartphones Samsung e LG pelo aplicativo Car link.

    A partir de 2016 será possível a conexão de modelos iPhone 5 ou superiores pelo sistema Apple Car Play para uso de aplicativos na tela do sistema multimídia e do comando de voz Siri.


    À esquerda, o novo rádio de série para todas as versões. Ao seu lado, a central Bluemedia, opcional disponível para o HB20 Premium.

    Outro item possível somente na versão Premium é o acabamento interno de couro marrom em bancos, portas e na alavanca do câmbio. Nesse caso é um opcional que eleva o preço da versão topo de linha de R$ 59.445 para R$ 61.035. Somando-se o Bluemedia o valor sobe para R$ 63.535.

    COMO FICOU NA PRÁTICA

    Segundo a Hyundai, com o novo câmbio manual de seis marchas, a velocidade máxima do HB20 subiu para 189 km/h e o tempo de aceleração de zero a 100 km/h foi mantido em 9,3 segundos. No caso da transmissão automática houve melhora no desempenho: a velocidade máxima aumentou 8%, para 190 km/h, e o tempo de aceleração de zero a 100 km/h diminuiu 4%, totalizando 11 segundos.

    Automotive Business dirigiu uma versão 1.6 Comfort Style automática por um trecho de 80 quilômetros no interior de São Paulo. A posição de dirigir e a qualidade dos materiais de acabamento são pontos fortes do carro. A estabilidade em curvas é outro destaque do hatch. Mas, apesar dos 128 cavalos com etanol, o modelo tem desempenho apenas aceitável.

    Mesmo agora com seis marchas ainda ocorrem reduções exageradas quando se pisa um pouco mais no acelerador. Nessas horas é preciso aproveitar a nova possibilidade de deslocar a alavanca para a direita e ir trocando as marchas manualmente.

    Veja abaixo as versões disponíveis e preços:

    1.0 Comfort – R$ 38.995;
    1.0 Comfort Plus – R$ 42.595;
    1.0 Comfort Style – R$ 46.345;
    1.6 Comfort Plus – R$ 48.745;
    1.6 Comfort Plus automática – R$ 52.745;
    1.6 Comfort Style – R$ 51.845;
    1.6 Comfort Style automática – R$ 55.845;
    1.6 Premium – R$ 59.445;
    1.6 Premium com couro marrom – R$ 61.035;
    1.6 Premium com couro marrom e Bluemedia – R$ 63.535.
    A versão Premium é sempre automática.