Hyundai prorroga paralisação da fábrica de Piracicaba outra vez

Falta de semicondutores adiou o retorno da produção de HB20 e Creta

Por REDAÇÃO AB
  • 12/07/2021 - 12:58
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura

    Devido à falta de componentes eletrônicos para a montagem de veículos, a Hyundai Motor Brasil anunciou nesta segunda-feira, 12, que vai prorrogar a paralisação da sua produção na fábrica de Piracicaba, interior de São Paulo.

    A provisão inicial era que o segundo e o terceiro turno voltassem ao trabalho nesta segunda-feira, mas a escassez de semicondutores adiou o retorno desse grupo de trabalhadores para o dia 26 de julho. Com isso, as linhas de montagem da família HB20 e do Creta permanecem paradas até o dia 15 de julho, quando o primeiro turno deverá voltar às atividades normais. Esta é a segunda prorrogação de parada de produção em menos de um mês.

    Publicidade



    Com a paralisação da Hyundai, já são três as montadoras que tiveram de fechar suas fábricas em julho. A Volkswagen decidiu suspender totalmente a produção na fábrica de Taubaté (SP) pela segunda vez, depois de ter anunciado semanas antes a paralisação das atividades em três de suas quatro fábricas no Brasil, também por falta de componentes eletrônicos.

    Enquanto isso, a GM está com duas plantas diferentes paradas por falta de componentes eletrônicos. A unidade de São Caetano do Sul vai ficar parada por seis semanas, em parte também para adequar a linha de montagem à chegada da nova picape baseada na plataforma do Onix.

    Já a fábrica da GM em Gravataí (RS) está numa situação mais grave, pois está paralisada desde março, o que tem provocado apreensão entre 5 mil funcionários parados, cerca de 2 mil da GM e os demais de 14 empresas fornecedoras do complexo industrial onde é fabricada a linha Onix. A previsão é que Gravataí fique parada por cinco meses e meio.

    Veja abaixo o comunicado oficial divulgado pela Hyundai.

    “A Hyundai Motor Brasil estenderá a suspensão da produção do 2º e do 3º turno de sua fábrica em Piracicaba (SP) até o dia 25 de julho devido à continuidade das condições instáveis de fornecimento de componentes eletrônicos. O 1º turno permanece com programação de retorno em 15 de julho. A empresa segue monitorando a situação e tomará as medidas necessárias para adaptar os volumes de sua produção conforme as condições de fornecimento de peças a cada semana.”