Implementos somam 13,9 mil unidades em maio, melhor resultado do ano

Vendas no acumulado cresceram quase 70% com ajuda do agronegócio, construção civil e infraestrutura

Por MÁRIO CURCIO, PARA AB
  • 06/06/2021 - 22:00
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura

    A venda de implementos rodoviários em maio foi a melhor de 2021 ao somar 13,9 mil unidades licenciadas (9% a mais que em abril). A média diária de maio também foi a maior do ano, 662 emplacamentos. No acumulado dos cinco meses as indústrias entregaram 62,5 mil implementos, 67,6% a mais que em iguais meses do ano passado.

    Os números foram divulgados pela Anfir, associação que representa os fabricantes do setor. Segundo a entidade, o crescimento no período foi motivado sobretudo pelo agronegócio, construção civil e infraestrutura. A alta entre os implementos permanece maior que a anotada na venda de caminhões (leia aqui).

    Publicidade



    O crescimento mais expressivo (82,9%) ocorreu entre os reboques e semirreboques, que somaram de janeiro a maio 36,8 mil unidades. O maior volume está nos implementos basculantes, 9,8 mil, indicando aumento de 115% pela comparação interanual.

    PRODUTOS EM ALTA



    O crescimento na venda de alguns produtos acaba refletindo o aquecimento de setores na economia. As carretas graneleiras seca tiveram alta de 59,5% sobre iguais meses de 2020. A entrega de equipamentos para transporte de toras aumentou 84,8%. A demanda de tanques de aço inox (em regra para produtos químicos) subiu 84% e a de baús frigoríficos, 30,9%. E os baús para carga geral (empregados pela indústria, varejo e comércio eletrônico) deram um salto de quase 150%, com 4,4 mil unidades entregues nestes cinco meses.

    O segmento de carrocerias sobre chassi somou 25,8 mil unidades de janeiro a maio, uma alta próxima a 50% pela comparação interanual. O maior volume é o de baús de alumínio/frigoríficos, 11,2 mil unidades. Eles anotaram aumento de 51,2% sobre iguais meses do ano passado.

    Os implementos graneleiros/para carga seca totalizaram 6,3 mil unidades entregues no período, 54,4% a mais que nos primeiros cinco meses do ano passado. Para as betoneiras, o aumento nas vendas superou 180% no período. Mas neste caso o volume foi baixo, 599 unidades em cinco meses.

    REAJUSTES DO AÇO PREOCUPAM SETOR



    A Anfir recorda que o aço representa em média 70% dos insumos empregados na produção de implementos no País e que até março esse produto teve variação média próxima a 80%, com pico de 126,8% nos laminados planos de aço inoxidável.

    No início de maio as siderúrgicas anunciaram aumentos de 10% a 18% e mais 15% em junho, o quinto reajuste do ano. “Estamos em plena recuperação da economia e não é oportuno aplicar reajuste em insumos tão essenciais como o aço”, recorda o presidente da Anfir, José Carlos Spricigo. Segundo o executivo, as empresas associadas à entidade estão absorvendo parte dos aumentos. Ele afirma que não é possível repassar esses reajustes ao cliente, o que compromete a situação da indústria.