Inovar-Máquinas é levado ao MDIC

Setor de máquinas faturou US$ 10,3 bilhões em 2012

Por REDAÇÃO AB
  • 10/10/2013 - 14:56
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura
    A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) apresentou ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) na quinta-feira, 10, em Brasília, o Programa de Desenvolvimento da Indústria de Máquinas Autopropulsadas, o Inovar-Máquinas.

    A proposta prevê a melhoria da competitividade do segmento de máquinas agrícolas, rodoviárias e de construção com incentivos à produção local. Com o programa, o presidente da Anfavea, Luiz Moan, acredita na possibilidade de modernização do setor: “A proposta para que o segmento possa se reindustrializar é um consenso entre nossas associadas e também temos concordância formal da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).”

    De 2007 a 2012, a participação dos importados nas vendas internas de máquinas de construção e rodoviárias registrou crescimento anual de 46% e hoje representa um terço do total das comercialização. De acordo com estimativa da Anfavea e da Abimaq, se esse ritmo se mantivesse, em 2018 a participação seria de mais de 50%.

    Movimento semelhante, de aumento das importações, foi notado também no segmento de máquinas agrícolas (tratores de roda). Além disso, o setor perdeu competitividade para exportar e os planos de investimentos de novas empresas indicam tendência para produção com CKD.

    “O Brasil é hoje o segundo maior mercado de colheitadeiras do mundo, mas ainda é preciso melhorar os índices de competitividade para atrair novos investimentos e garantir produção local completa, que permitirá o desenvolvimento não só do segmento, mas de toda a cadeia produtiva”, diz Moan.

    Baseado no Inovar-Auto, o novo programa prevê o aumento da aquisição de insumos e peças locais, incentivo ao investimento e crescimento das compras de máquinas industriais. O setor de máquinas agrícolas, rodoviárias e de construção faturou US$ 10,3 bilhões em 2012, realizou investimentos de R$ 1,2 bilhão e teve participação de 2% no PIB industrial brasileiro.

    Hoje há 21 fábricas instaladas em cinco Estados, empregando 21,6 mil colaboradores e vendendo seus produtos em mais de 1,1 mil concessionárias brasileiras.