Jaguar Land Rover e governo do Rio assinam acordo para construção de fábrica em Itatiaia

Executivos da Jaguar Land Rover e representantes do governo do Rio de Janeiro se reúnem após assinatura do memorando no Palácio Guanabara (RJ).

Por REDAÇÃO AB
  • 05/12/2013 - 19:20
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • 2 minutos de leitura

    Executivos da Jaguar Land Rover e o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, assinaram na quinta-feira, 5, memorando de intenções que confirma a construção de fábrica da empresa britânica em Itatiaia, no sul fluminense.

    A Jaguar Land Rover investirá cerca de R$ 750 milhões até 2020 na planta, que deve começar a operar a partir de 2016 com capacidade para 24 mil veículos por ano. O início das obras está previsto para meados de 2014, ainda dentro do período de aplicação das regras do Inovar-Auto.

    O grupo prevê a contratação inicial de 400 empregados diretos, número que poderá dobrar ao final desta década. O projeto deverá gerar também empregos indiretos por meio da rede de fornecedores que suportará a produção.

    Esta é a primeira vez que a Jaguar Land Rover revela informações sobre a fábrica, apesar do prefeito de Itatiaia, Luiz Carlos Ferreira Bastos, já ter falado sobre o projeto (leia aqui). Em nota, o grupo britânico diz que a decisão foi tomada após um minucioso e detalhado estudo. “A Jaguar Land Rover optou pelo estado do Rio de Janeiro e pela cidade de Itatiaia, próxima ao centro de um novo e emergente polo automotivo que está se formando, por suas facilidades em termos de logística, pelo fácil acesso a uma rede de fornecedores e pela sua excelente força de trabalho.”

    O CEO global da Jaguar Land Rover, Ralf Speth, explica no mesmo comunicado que a nova unidade contribuirá para o crescimento global do grupo. A planta deverá atender uma crescente demanda de clientes no Brasil e em toda a América do Sul.

    “Estamos ansiosos para atrair ainda mais consumidores neste mercado tão importante para nossas marcas. O Brasil e os demais países da região possuem um volume de clientes que, cada vez mais, estão em busca de produtos premium de alta capacidade. O novo projeto deverá permitir à Jaguar Land Rover oferecer novos produtos”, declara o executivo.

    A Jaguar Land Rover, que hoje tem 36 concessionárias no País espalhadas pelas regiões Sul, Sudeste, Centro Oeste e Nordeste, afirma que será a primeira fabricante britânica de automóveis a produzir no Brasil. Mas de 1998 a 2005 a Land Rover já montou o antigo Defender em São Bernardo do Campo (SP), em uma linha de produção alugada da Karmann-Ghia. Não foram produzidas mais do que mil unidades por ano. A planta de Itatiaia será a segunda do grupo fora da Inglaterra - há uma na China em construção, além de uma pequena operação de montagem de CKD na Índia, onde fica sediada a Tata, empresa controladora da Jaguar Land Rover.

    Com a fabricação local, a companhia ficará livre de pagar o adicional de 30 pontos no IPI incidente sobre veículos importados similares aos que serão produzidos no Brasil, em cota anual equivalente a 25% da capacidade de produção prometida. A Jaguar Land Rover ainda não revela quais modelos produzirá, mas os mais cotados são Freelander e Evoque, utilitários que compartilham plataforma e são os mais vendidos da marca no País, e que portanto entrariam na cota de importação isenta de sobretaxação.

    Para se instalar no Brasil a empresa precisará atender as regras do Inovar-Auto. O programa tem condições específicas para fábricas de baixo volume de produção, com capacidade para fabricar até 35 mil veículos por ano e investimento mínimo de R$ 17 mil por unidade fabricada.