JSL lança novo sistema de aluguel de caminhões

Serviço estará disponível para empresas e pessoas físicas

Por Giovanna Riato, AB
  • 26/10/2011 - 23:15
  • | Atualizado há 2 months
  • 2 minutos de leitura

    <style type="text/css"> .texto { font-family: Verdana, Geneva, sans-serif; font-size: 10px; color: #666; } .texto { text-align: left; } </style>

    NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
    EmailRSSTwitterWebTVRevistaMobileRede Social


    Giovanna Riato, AB

    A JSL aproveitou a Fenatran (Salão Internacional dos Transportes), que acontece até 28 de outubro em São Paulo (SP), para anunciar a criação de um novo negócio de aluguel de caminhões, com possibilidade de os clientes ficarem com os veículos por períodos curtos, para substituir uma unidade que está em revisão ou atender uma demanda específica por um modelo.

    O primeiro passo para divulgar o novo negócio será a abertura de uma loja em São Bernardo do Campo (SP) em 1º de dezembro. “Nosso principal desafio será atender não só com empresas, mas pessoas físicas também”, explica José Geraldo Franco, diretor comercial da JSL. A divisão pretende oferecer soluções para quem precisa movimentar pequenas cargas ou fazer uma mudança. Há opção por veículos menores, que não precisam de carteira de habilitação profissional, e possibilidade de alugar um motorista junto com o caminhão.

    A companhia já oferecia aluguel de caminhões anteriormante mas em um sistema menos flexível. Os clientes ficavam com os veículos por longos períodos, que chegavam a passar de 36 meses. Franco aponta que houve demanda do mercado por outro formato.”Isso é comum no exterior mas somos os primeiros a oferecer a solução no Brasil”, conta.

    Apesar de a primeira loja ficar em São Paulo, o serviço poderá ser contratado de diversas regiões do Brasil por telefone. Inicialmente, a empresa disponibilizará seis modelos de caminhão em diversas configurações. “Veremos como o mercado vai receber a novidade e, a partir de então, abriremos outras lojas”, revela o diretor. O negócio recebeu aporte inicial de R$ 7,5 milhões e já tem divulgação no rádio fechada. “Nossa intenção é popularizar o serviço”, esclarece.