Lifan programa 20 novos veículos até o ano de 2018

Modelo X50 está previsto para 2014, mas sua estreia no Brasil não tem data definida (fotos: Mário Curcio)

Por MÁRIO CURCIO, AB | De Chongqing (China)
  • 07/08/2013 - 10:23
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • 2 minutos de leitura

    Em recente evento realizado em Chongqing, na China, a direção da Lifan Motors revelou uma série de planos à imprensa brasileira. Até 2018, a empresa pretende colocar em seus mercados 20 novos produtos, entre reestilizações e veículos inéditos. Um destes, o X50 (foto ao lado), está previsto para 2014 no cronograma exibido aos jornalistas, mas ainda não há uma definição de sua estreia no Brasil.

    O carro foi fotografado quando circulava ao lado da fábrica de utilitários da empresa em Chongqing, na China. “Teremos novos modelos compactos e outros utilitários esportivos”, afirmou o presidente da companhia, Yin Mingshan.

    Outros desses lançamentos serão minivans entre 3,8 e 5 metros, automóveis compactos, médios e grandes, com distâncias entre eixos de 2,4 a 2,7 metros. As motorizações empregadas terão capacidade cúbica de 1 litro a 2,4 litros (1.0 a 2.4). “Evidentemente, nem todos os veículos servem a todos os mercados", afirma o diretor de marketing da Lifan do Brasil, Luiz Zanini, recordando que apenas uma parte desses modelos será montada no Uruguai e vendida no Brasil (leia adiante).

    Para reformular sua linha, a fabricante contará com um novo centro de pesquisa e desenvolvimento (P&D). A construção fica num novo distrito industrial de Chongqing, ao lado da sede administrativa e entre a unidade de motocicletas e a de utilitários.

    A edificação engloba uma área de testes, onde a empresa já teria investido o equivalente a 360 milhões de yuans, cerca de R$ 120 milhões. A área de P&D emprega 600 funcionários, dos quais 90% são engenheiros. O local está apto a desenvolver automóveis, motores a combustão, veículos elétricos e híbridos. Tem espaço destinado a testes de emissões, impacto, ruído e vibração e pode simular condições extremas, como baixas temperaturas, por exemplo.

    Lifan/
    Centro de pesquisa e desenvolvimento da Lifan em Chongqing emprega 600 pessoas. À esquerda, o diretor do departamento, Zhao Shengzhou. À direita, o presidente da Lifan, Yin Mingshan

    Até 2017 a Lifan terá uma linha renovada de propulsores. Entre eles estão versões 1.2, 1.4 e 2.0 dotadas de turbo e injeção direta. Na apresentação da fabricante não havia menção a versões bicombustíveis, mas o diretor do centro de P&D da Lifan, Zhao Shengzhou, garantiu: “Nesse caso, o desenvolvimento será feito em parceria com a Delphi.”

    Atualmente, além das próprias fábricas, a Lifan tem unidades de produção em regime CKD, ou seja, a partir de kits totalmente desmontados, no Azerbaijão, Birmânia, Etiópia , Irã, Iraque e Rússia. Uma negociação com o Egito nesses mesmos moldes está em andamento.

    Na operação uruguaia, o modelo adotado o SKD, ou seja, a produção a partir de kits semidesmontados. Hoje é montado no país vizinho o X60, utilitário esportivo apresentado em maio deste ano (veja aqui).

    Em breve começa a produção local da picape utilitária Foison. Para o primeiro semestre de 2014 está previsto o início da montagem do sedã pequeno LF 530. O médio LF 630 deve chegar na segunda metade do ano que vem.

    Lifan/
    Em sentido horário, a partir do alto, à esquerda: X60, picape Foison e sedãs LF 530 e LF 630