Máquinas crescem mais de 40% no 1º trimestre

Colheitadeiras de grãos anotaram alta de 30% no 1º trimestre

Por MÁRIO CURCIO, AB
  • 06/04/2017 - 21:36
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura
    O bom momento do agronegócio brasileiro favorece o setor de máquinas, que apontou para cima na metade do ano passado e manteve o crescimento em 2017. O primeiro trimestre anotou 9,75 mil máquinas agrícolas e rodoviárias, registrando alta de 41,1% sobre os mesmos três meses de 2016.

    Como ocorre em regra, o maior volume é o de tratores de rodas, que responderam por 7,9 mil unidades, acréscimo de 50,4%. As colheitadeiras de grãos também mostram bom desempenho e tiveram no período 1,25 mil unidades repassadas das fábricas aos concessionários, indicando alta 30% sobre os mesmos três meses de 2016.

    Os números foram divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

    - Veja aqui os dados do trimestre da Anfavea
    -Veja aqui outros dados da Anfavea
    - Veja outras estatísticas em AB Inteligência

    “Mais do que números relativos, no setor agrícola o mais importante é a tendência de crescimento, que vem ocorrendo desde o segundo semestre de 2016. A análise mês contra mês é boa, mas quando ampliamos o horizonte vemos que os números ainda são pequenos se comparados aos últimos anos”, afirma a vice-presidente da Anfavea, Ana Helena de Andrade. Na comparação com 2015, por exemplo, as vendas deste começo de 2017 ficam 20% abaixo.

    O cenário se mantém ruim para as máquinas de construção. Como exemplo, o primeiro trimestre teve apenas 180 retroescavadeiras vendidas, 34,1% a menos que em igual período de 2016. Os tratores de esteiras até tiveram alta, mas foram vendidas menos de 50 unidades no trimestre inteiro.

    PRODUÇÃO E EXPORTAÇÃO

    Como reflexo do mercado interno a produção registrou importante alta. De janeiro a março foram fabricadas no Brasil 13,1 mil unidades, acréscimo de 72,2%. Somente em tratores de rodas foram 10,4 mil, alta de 89,5%. Ana Helena vê com cautela o crescimento: “A indústria se ajusta neste momento à demanda.” Ela recorda que parte dessa alta na produção servirá para suprir as encomendas resultantes da Agrishow, principal feira agrícola do País que ocorre de 1º a 5 de maio em Ribeirão Preto (SP).

    As exportações também cresceram neste primeiro trimestre. Com 2,27 mil equipamentos embarcados, a alta foi de 14,4%. “Teremos uma retomada lenta nas vendas externas. Nos anos recentes, a América Latina, que é nosso mercado cativo, substituiu nossos produtos por outros de diversos mercados por nossa falta de competitividade”, diz a vice-presidente da Anfavea, recordando que essa reconquista leva tempo.

    Seja como for, o setor cresce e vem contratando, diferentemente do que ocorre nas montadoras de automóveis e caminhões. Segundo a Anfavea as fabricantes de máquinas empregavam em março 17,4 mil trabalhadores, um total 14,2% maior que no mesmo mês do ano passado.